Jurados do massacre do Carandiru estão na sala secreta para decidir o futuro dos 26 réus

Viviane Bittencourt

20 de abril de 2013 | 21h40

A advogada Ieda Ribeiro de Souza encerrou a tréplica às 21h30. Agora, o Conselho de Sentença se reuniu para deliberar sobre o futuro dos 26 réus acusados pela morte de 15 detentos no segundo pavimento do Pavilhão 9 da Casa de Detenção em outubro de 1992. Os sete jurados, seis homens e uma mulher, já ingressaram na sala secreta junto ao juiz José Augusto Marzagão.

Na manhã deste sábado, às 9h25, tiveram início os debates, quando acusação e defesa têm três horas cada um para expor os seus argumentos sobre o processo. A acusação pediu a réplica e, após, a defesa recorreu à tréplica.

Tudo o que sabemos sobre:

carandirucasa de detençãomassacre

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.