Moradores da Rocinha fazem passeata no Rio e vão até o prédio do governador; em São Paulo, Via Dutra foi fechada

Felipe Tau

25 de junho de 2013 | 18h26

22h37TERESINA– Segundo informações da Polícia Militar, foram designados três delegados especiais para abrir e acompanhar os inquéritos referentes a danos ao patrimônio público decorrentes das manifestações realizadas na capital do Piauí. A PM confirmou que 18 pessoas foram presas, sendo que duas delas foram encaminhadas para a penitenciaria por já terem mandado de prisão em aberto. No balanço da polícia, 27 pessoas desde o primeiro dia de manifestações.

22h30 – Em Sumaré, outra cidade da região de Campinas, também acabou em confronto o protesto contra a tarifa de ônibus, na noite desta terça-feira. Três guardas municipais foram feridos durante confronto com manifestantes em frente a Câmara de Vereadores.

A Tropa de Choque da PM foi acionada e atirou bombas de gás lacrimogênio e de efeito moral contra os manifestantes. Um grupo mais radical, se dirigiu então para uma praça e começou a atacar com pedras e bombas caseiras uma base da PM. (Ricardo Brandt)

22h28 – Em Piracicaba, no interior de São Paulo, terminou em confronto a manifestação desta terça-feira, 25, em protesto contra o preço da tarifa de ônibus. Parte do grupo de 2 mil manifestantes invadiu o terminal central de ônibus e apedrejou os veículos. Eles também apedrejaram o Teatro Municipal, uma agência bancária e saquearam um caminhão carregado com carne que parou em meio ao protesto.

A Tropa de Choque da Polícia Militar reagiu com bombas de gás lacrimogênio e gás de pimenta contra os manifestantes. A região central da cidade foi tomada pela fumaça das bombas.

Nessa terça-feira, o prefeito Gabriel Ferrato (PSDB) anunciou a redução da tarifa na cidade de R$ 3,40 para R$ 3,00, na catraca ou no terminal, e de R$ 3,00 para R$ 2,80 para quem tem o cartão integração. 

(Ricardo Brandt)

21h57 – Depois de mais de três horas de bloqueio da Rodovia Presidente Dutra em São José dos Campos e Taubaté o trânsito foi liberado e o tráfego já está normalizado na região. 

21h50 – Moradores da Rocinha que protestavam perto do apartamento do governador Sérgio Cabral (PMDB) já deixaram o local, no Leblon. Eles  voltaram para a comunidade, também na zona sul.

21h43PORTO ALEGRE – Pelo menos quatro cidades do Rio Grande do Sul, todas na região metropolitana de Porto Alegre, tiveram manifestações na noite desta terça-feira. Em Estância Velha, centenas de pessoas bloquearam o tráfego da BR-116 por cerca de duas horas. Em Cachoeirinha, em torno de mil ativistas ficaram sobre a rodovia que liga o município a Porto Alegre e impediram a passagem de veículos por quase uma hora. Também houve bloqueio semelhante na BR-386, em Nova Santa Rita, por dez minutos. Em Gravataí, os manifestantes fizeram um ato público diante da Câmara de Vereadores e si dispersaram. (Elder Ogliari)

21h38 – Manifestantes que ocupavam a Castelo Branco seguem agora pela Rodovia Raposo Tavares. Um grupo de cerca de 200 pessoas bloqueia a pista marginal da via, no sentido interior, na altura do km 43.  A Rodovia Anhanguera já está com o trânsito liberado. Segundo a concessionária, os manifestantes que ocupavam a via desocuparam as pistas por volta das 21h.

21h35 – A Polícia Militar usou bombas de efeito moral e balas de borracha para dispersar manifestantes que se encaminhavam para a Ponte Rio-Niterói. Um pequeno grupo de cerca de 200 pessoas seguiu em direção à Ponte, quando a maior parte da manifestação já havia se dispersado. Diante da reação da PM, o grupo desistiu de avançar. A situação está calma no local. Os manifestantes voltaram a pé porque os ônibus não circulam na região central da cidade. (Clarissa Thomé) 

21h09 – Em um protesto em  Niterói, um grupo que tentou seguir em direção à Ponte Rio-Niterói foi reprimido pela polícia. Cerca de mil manifestantes fizeram um ato no centro da cidade.

21h06– Moradores da Rocinha durante protesto nessa terça-feira, 25. Uma das organizadoras do ato, a estudante de administração da PUC Érica Santos, de 21 anos, disse que um dos objetivos é cobrar a realização de obras de saneamento na favela. Segundo ela, os moradores querem educação e saneamento. “De que adiantam um teleférico e uma escada rolante para turistas verem, se a gente ainda tem ruas com esgoto a céu aberto?”, indagou.

Moradores da Rocinha na frente do prédio onde mora o governador do Rio, no Leblon, zona sul. Foto: Marcos de Paula/Estadão

21h00 – Na cidade de São João de Meriti, no Estado do Rio, caminhoneiros fazem um bloqueio na pista expressa no km 167, no sentido da capital fluminense. O trânsito já se estende até o km 177. Pela pista local, o tráfego está liberado, mas flui com lentidão.

20h55 – Moradores da Rocinha e do Vidigal estão na travessa da Avenida Delfim Moreira com a Rua Aristides Espínola, no Leblon, zona sul do Rio. No endereço, fica o prédio do governador Sérgio Cabral (PMDB). Desde sexta, 21, outros manifestantes já acampam no local em protesto.

20h47 – A Rodovia Castelo Branco está interditada em ambos os sentidos no km 32, altura de Itapevi, Grande São Paulo. Cerca de 200 manifestantes bloqueiam a via. Na Rodovia Anhanguera, manifestações causam o bloqueio no km 55, em Jundiaí, sentido interior.  Veja as rotas para escapar das manifestações nas estradas paulistas.

20h30 – Em Florianópolis, dois protestos tomaram conta das ruas da região central da cidade no fim da tarde. Algumas ruas próximas ao prédio da prefeitura foram interditadas pela Polícia Militar.

20h00 – Manifestantes interditaram as duas pistas da Via Dutra também no km 110, em Taubaté, por volta das 19h40 desta terça-feira. Com isso, a principal ligação de São Paulo e Rio de Janeiro tem três bloqueios por manifestações no trecho paulista. Os demais são no km 152, em São José dos Campos, e no km 178, região de Jacareí. A Polícia Rodoviária Federal negocia com os manifestantes a liberação da estrada. 

20h15 – Na manhã desta terça-feira, 25, três manifestações também ocorreram na periferia da capital paulista, reivindicando melhorias no transporte público, melhores condições de moradia, entre diversas outras pautas. Veja a cobertura completa.

Manifestantes na Nova Radial, em Guanases, nesta manhã. Crédito: Werther Santana/Estadão

20h08SÃO LUÍS – Os manifestantes que ocupavam a Avenida dos Portugueses, foram dispersados na capital maranhense nesta terça-feira, depois de um novo confronto com a Polícia Militar. Este foi o terceiro choque com a polícia registrado na avenida, uma importante via da cidade. Cerca de 400 policiais estão nas ruas e a expectativa é de que ocorram novos confrontos. Até as 17h50 foram registradas 28 detenções e 29 pessoas feridas, entre elas 11 policiais e dois jornalistas.

No centro, uma outra manifestação, chamada “A Periferia vai ao Centro”, começou a se reunir na Praça Deodoro e deve seguir até a Praça Pedro II. Do outro lado de São Luís, na Cohab, um terceiro grupo de manifestantes formado por mais de mil estudantes iniciou uma marcha em direção à Assembleia Legislativa, local onde na noite de segunda-feira última houve um confronto entre policiais e estudantes. (Ernesto Batista)

19h56 – Manifestantes ocupam a Avenida Paulista na frente do Masp. O trânsito está totalmente bloqueado no sentido Consolação.

19h49– FORTALEZA  – O protesto dos estudantes da Universidade de Fortaleza (Unifor) contra a insegurança no campus da Água Fria foi realizado de forma pacífica nesta terça-feira, 25. Os universitários se concentraram na Reitoria e seguiram até o Espaço Unifor, onde entregaram a Ouvidoria da Unifor uma pauta de reivindicação. A passeata reuniu mais de 300 estudantes que cobram melhoria na iluminação, instalação de monitoramento eletrônico, estacionamento vertical, aumento no número de seguranças, acesso ao campus restrito aos estudantes por meio de catracas eletrônicas, congelamento das mensalidades e aumento no valor na Bolsa Estudantil. (Lauriberto Braga)

 19h43 – Cerca de 40 manifestantes bloqueiam a Avenida Paulista no sentido Consolação no cruzamento com a Avenida Brigadeiro Luís Antônio. De acordo com  a PM, grupo saiu da Praça do Ciclista há cerca de 20 minutos da Praça do Ciclista. Acompanhe a situação do trânsito na cidade.

19h37CAMPINAS – Em Piracicaba, no interior de Sã o Paulo, cerca de 2 mil manifestantes fazem um protesto na noite desta terça-feira, 25, contra o preço da tarifa de ônibus. Durante passeata, um caminhão carregado com carne que parou em meio ao protesto foi saqueado. Os vidros de uma agência bancária foram quebrados por um grupo de manifestantes. A Policia Militar tenta localizar os autores do saque. Nessa terça-feira, o prefeito Gabriel Ferrato (PSDB) anunciou a redução da tarifa na cidade de R$ 3,40 para R$ 3,00, na catraca ou no terminal, e de R$ 3,00 para R$ 2,80 para quem tem o cartão integração. 

Em Sumaré, outra cidade da região de Campinas, o clima é tenso durante protesto contra a tarifa de ônibus na noite desta terça-feira. Três guardas municipais foram feridos durante confronto com manifestantes. (Ricardo Brandt)

19h32 – SOROCABA – Os manifestantes que protestam em Vargem Grande Paulista acabam de liberar as duas pistas da rodovia Raposo Tavares, no km 43, que tinham sido fechadas às 17h40 desta terça-feira, 25. A rodovia ficou fechada durante uma hora. O grupo, que já soma cerca de 800 manifestantes, seguia em direção ao prédio da Câmara. Cerca de 100 policiais militares, com reforço vindo de outras cidades, acompanham o protesto. (José Maria Tomazela)

19h24 – Os manifestantes que saíram da Rocinha passaram há pouco pela Favela do Vidigal. Ali, o grupo cantou o Hino Nacional e recebeu o reforço dos moradores daquela comunidade. Cerca de mil pessoas seguem agora em direção à residência do governador Sérgio Cabral Filho (PMDB), no Leblon. O protesto segue pacífico. Um outro movimento, chamado Ocupe a Delfim Moreira,  referência à rua onde mora Cabral, está em frente ao prédio do governador desde sexta-feira, 21. O governador convidou os manifestantes para uma reunião no Palácio Guanabara, sede do Executivo do Rio.

O comandante do 23º Batalhão, Luiz Antônio, caminha à frente dos manifestantes. Algumas pessoas tentaram esconder o rosto com camisetas e lenços, mas os próprios organizadores do ato pediram que eles retirassem os panos. “A gente falou que ia fazer passeata pacífica, não faz sentido esconder o rosto. A gente quer mostrar a nossa cara”, disse a estudante Érica Santos, de 21 anos.

Entre as faixas e gritos,  há muitas críticas à opção dos governos federal e estadual de construir teleférico na favela, em vez de dar prioridade a gastos em saúde, educação e saneamento. Também havia muitas críticas à atuação da polícia em faixas levadas por moradores. (Felipe Werneck)

 

19h21SÃO JOSÉ DOS CAMPOS – As pista marginal da Via Dutra tem bloqueios nos dois sentidos por causa da manifestação na altura de São José dos Campos (SP). No sentido Rio, a interdição vai do km 154 ao km 152. No sentido São Paulo, os veículos não conseguem avançar entre os quilômetros 146 e 147. Acompanhe a situação do trânsito no Estado de São Paulo.

19h16RECIFE – “Oh Dilma, aqui estou/melhore o SUS que eu vou para o interior”, “Oh Dilma, não se acovarde/a gente quer saúde de verdade”. Essas foram algumas das palavras de ordem dos médicos pernambucanos durante uma passeata de 40 minutos, na tarde desta terça-feira,  na movimentada Avenida Agamenom Magalhães, que liga a zona sul do Recife a Olinda.

Com faixas defendendo o Revalida – programa do Ministério da Educação e da Saúde para validação de diploma – os médicos usaram um megafone para alertar a população que a entrada de médicos estrangeiros, como anunciou a presidente Dilma, para trabalhar no interior do País, sem necessidade de exame que comprove a competência e qualificação do profissional, “põe em risco a saúde da população”. (Angela Lacerda)

 19h12FRANCA– Os vereadores de São Carlos (SP) aprovaram na tarde desta terça-feira, 25, projeto de lei de redução da tarifa de ônibus de R$ 2,75 para R$ 2,65 na cidade. O novo valor entra em vigor a partir do dia 1º de julho e foi aprovado com a Câmara lotada de manifestantes. O protesto na cidade reuniu mais de 2 mil pessoas, segundo a Polícia Militar.

Em Ribeirão Preto, onde também ocorre protesto, a prefeita Darcy Vera (PSD) anunciou redução de 10 centavos na tarifa. (Rene Moreira)

19h06Manifestantes tentam interditar os dois sentidos da Rodovia Presidente Dutra, na altura de São José dos Campos. A Concessionária CCR Nova Dutra informa em seu site que o trânsito é lento entre os quilômetros 154 e 152 pela pista expressa e que o tráfego foi desviado para a pista local.

O  protesto é organizado pelo Movimento Passe Livre de São José dos Campos teve início na praça Afonso Pena às 16h. A tarifa no município era R$ 3,30 no início do mês, foi reduzida para R$ 3,20 no dia 15 e nesta segunda feira passou a custar R$ 3. O movimento quer que a tarifa diminua ainda mais. Veja mapa das manifestações previstas para hoje em todo o Brasil:

Clique na imagem para ampliar

 

18h56 – Mais cedo, moradores do Complexo da Maré, conjunto de favelas na zona norte do Rio, tentaram fechar a Avenida Brasil, em protesto contra as dez mortes ocorridas na comunidade desde a invasão do Bope, na noite de segunda-feira, 24.

Grupo tenta fechar a Avenida Brasil na tarde desta terça-feira, em protestos contra mortes no Complexo da Maré. Foto: Wilton Júnior/Estadão

 

18h51 –  O protesto com quase 200 pessoas em Vargem Grande Paulista, Grande  São Paulo, bloqueia trecho da Rodovia Raposo Tavares, em Vargem Grande Paulista, na altura do km 43, sentido interior. Segundo a concessionária ViaOeste, o tráfego foi desviado da pista marginal para a expressa, onde estão os manifestantes, e não há registros de lentidão. Acompanhe a situação do trânsito nas estradas.

18h48– GOIÂNIA – Carlos Baromeu Dias, o motorista suspeito de atropelar e causar a morte de duas manifestantes em Cristalina (GO) na manhã de segunda-feira, 24, se apresentou em Unaí (MG) e deve ser interrogado na manhã de quarta, 26, em Cristalina. Ele foi ouvido e liberado nesta terça porque os requisitos legais para uma prisão em flagrante já não não existiam, e porque ele é réu primário e tem residência fixa.

O delegado de Cristalina, Vítor Oliveira Magalhães, instaurou inquérito policial e não descarta um pedido de prisão temporária do suspeito, mas quer ouvi-lo primeiro. Em Unaí, cidade de origem do motorista, a Polícia Civil apurou que Carlos trabalha em um sindicato em Brasília onde reside, mas ele se apresentou como comerciário. (Marília Assunção) 

18h31RIO – A capital  vive um clima tenso no complexo de favelas da Maré, na zona norte, onde dez pessoas já morreram desde segunda-feira, 24, depois de uma incursão do Batalhão de Operações Especiais (Bope). A entrada na comunidade, segundo a polícia, ocorreu quando os PMs perseguiam um grupo responsável por um arrastão durante uma passeata.

Entre os  mortos,  há sete suspeitos de envolvimento com o tráfico de drogas, um sargento do Batalhão de Operações Especiais (Bope), dois moradores. A Força Nacional de Segurança foi acionada. (Marcelo Gomes)

18h28 – SOROCABA – Um grupo com 200 manifestantes, segundo a Polícia Militar, bloqueou as duas pistas no km 43, da rodovia Raposo Tavares, por volta das 17h40 desta terça-feira, 25, em Vargem Grande Paulista, na Grande São Paulo. Em poucos minutos formou-se um grande congestionamento no local. Policiais militares e rodoviários negociavam com os manifestantes a liberação da rodovia.

O grupo havia se concentrado às 17 horas no Ginásio Municipal de Esportes e iniciou uma passeata pelas ruas da cidade. As fileiras dos manifestantes começavam a engrossar com a chegada de outros grupos e a adesão de moradores. A principal reivindicação era a redução na tarifa de ônibus, que é de R$ 3,60. (José Maria Tomazela)

18h24RIO – No dia 14 deste mês, a presidente Dilma Rousseff foi ao Complexo Esportivo da Rocinha para anunciar investimentos de US$ 1,6 bilhão na favela. O lançamento do PAC 2 ocorreu sem que obras do PAC 1 tenham sido concluídas na comunidade. Está prevista a construção de um teleférico com seis estações semelhante ao que já existe no Complexo do Alemão, na zona norte.

O Shopping Fashion Mall, que concentra lojas de luxo, está fechado para o público desde o início da tarde e portas de vidro foram cobertas com tapumes de madeira. A passeata não deverá passar perto do local.

Moradores de condomínios de classe média alta da Avenida Aquarela do Brasil piscam a luz em solidariedade ao ato. (Felipe Werneck)

18h22 – RIO – Com uma faixa “saneamento sim; teleférico não” à frente, cerca de 600 moradores da favela da Rocinha partiram há pouco em passeata que deverá seguir pela Avenida Niemeyer até a favela do Vidigal, e, possivelmente, até a rua onde mora o governador Sérgio Cabral Filho, no Leblon. Cerca 250 policiais acompanham o grupo.

Uma das organizadoras do ato, a estudante de administração da PUC Érica Santos, de 21 anos, disse que um dos objetivos é cobrar a realização de obras de saneamento na favela. “Anunciaram obras do PAC 2 (Programa de Aceleração do Crescimento), mas ainda não finalizaram as do PAC 1. Além disso, chegaram impondo, não perguntaram o que a gente precisa”.

Segundo ela, os moradores querem educação e saneamento. “De que adiantam um teleférico e uma escada rolante para turistas verem, se a gente ainda tem ruas com esgoto a céu aberto?”, indagou Érica. Ela criou uma página no Facebook, junto com o estudante de design Dênis Neves, de 25 anos, também da PUC-Rio. Érica e Dênis são moradores da Rocinha. Antes do início da passeata, os dois criticavam políticos locais que, segundo eles, tentavam se aproveitar do ato.  (Felipe Werneck)

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.