Em dia de jogos finais da Copa das Confederações, manifestantes voltam às ruas pelo País

Felipe Tau

30 de junho de 2013 | 11h32

20h46 – RIO DE JANEIRO – Manifestantes voltaram a ocupar o entroncamento da Avenida Maracanã com Rua São Francisco Xavier, onde houve confronto iniciado por volta das 18h30. A polícia continua no local. Não houve novos enfrentamentos.

20h06 – Assista a vídeo no qual manifestantes que estavam fantasiados de bola no campo do Maracanã antes do jogo entre Brasil e Espanha tentam exibir faixa contra privatização do Maracanã.

19h55 – RIO DE JANEIRO –  Em seu Twitter, o Comando de Operações Especiais da Polícia Militar informou que um policial foi ferido na perna por um coquetel molotov e outro ficou ferido na cabeça por conta de uma pedrada.

19h42 – RIO DE JANEIRO – O presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB, Marcelo Chalreo, disse que ainda é prematuro avaliar se houve excesso da Polícia Militar na durante a operação de dispersão dos manifestantes que tentavam chegar ao estádio do Maracanã. Chalreo disse que estava acompanhando a manifestação desde o início no Centro de Controle Móvel da PM, que está estacionado nas imediações do estádio. “A partir de determinado momento houve a perda do controle da situação. Preciso conversar com todos os advogados da OAB que acompanharam o protesto nas ruas e também analisar as imagens geradas pela polícia antes de avaliar o que houve”, afirmou. (Marcelo Gomes)

19h26RIO DE JANEIRO Uma jovem, com idade entre 20 e 25 anos, acaba de ser socorrida pelo Corpo de Bombeiros. Ela estava com forte dificuldade para respirar por ter inalado muito gás lacrimogêneo. Um amigo da manifestante contou que eles foram encurralados pela polícia. “Não estávamos fazendo nada. Encurralaram a gente contra uma árvore e começaram a atirar com tiros de borracha e a lançar as bombas. Não dava para fugir”, contou o rapaz, que se identificou apenas como Felipe. (Tiago Rogero)

19h23 – RIO DE JANEIRO – Em seu Twitter, o Comando de Operações Especiais da Polícia Militar divulgou foto que mostra o momento em que policiais são atingidos por coquetel molotov. Um deles teve queimaduras. Foto: PMRJ.

19h07 – RIO DE JANEIRO – Quando a polícia avançou, os manifestantes se dividiram em três grupos. Um seguiu pela Avenida Maracanã em direção à Praça Varnhagen, colocaram fogo em barricadas na Avenida Maracanã. Outros dois grupos fugiram em direções opostas da Rua São Francisco Xavier. Nesse momento, a situação está sob controle no local onde teve início a confusão. Agora a polícia caça os manifestantes pelas ruas dos bairros da Tijuca e Maracanã.

Nesse momento, as imediações do Maracanã estão tomadas por uma névoa devido a grande quantidade de bombas de gás lacrimogêneo disparada pela polícia para dispersar os manifestantes. Uma picape da Força Nacional de Segurança chegou há pouco para reabastecer os agentes com as bombas de gás.  (Marcelo Gomes)

18h56RIO DE JANEIRO –  Os manifestantes usaram bombas de fabricação caseira para atacar a polícia. Um deles lançou um coquetel molotov na direção do policial, que chegou a ter a calça da farda incendiada. Gás lacrimogêneo foi lançado no local e por conta disso as pessoas se protegeram com lenços embebidos em vinagre. O caveirão chegou no local do confronto e o grupo se dispersou. A polícia continua atirando com balas de borracha em quem tenta voltar ao entroncamento da Avenida Maracanã com o Rua São Francisco Xavier. Nas redes sociais, o grupo Anonymous Rio pede aos moradores das redondezas que filmem a ação policial e liberem o sinal de wi-fi das suas casas, já que a rede 3G não estaria funcionando na região. (Tiago Rogero)

18h48 – RIO DE JANEIRO – Manifestantes recuam do cruzamento da Avenida Maracanã com a rua São Francisco Xavier, próximo ao estádio do Maracanã.

18h43RIO DE JANEIRO –  Manifestantes provocaram o confronto com a polícia. Os PMs faziam uma barreira na Avenida Maracanã, quando os ativistas começaram a jogar pedras e garrafas na polícia. Os PMs revidaram com bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo. Os participantes do protesto reagiram apontando fogos de artifício. A polícia conseguiu dispersar o grupo, mas ainda lança bombas de efeito moral. (Tiago Rogero)

18h36 – RIO DE JANEIRO – Manifestantes e PMs entram em confronto próximo ao Maracanã. Policiais dispersam os ativistas com bombas de efeito moral. Os manifestantes recuam.

18h30 – A partida entre Brasil e Espanha começa daqui a meia hora. Acompanhe todos os detalhes do jogo e informações de bastidores no blog de esportes do Estadão.

18h20 – RIO DE JANEIRO – Foto do protesto que acontece agora no Rio de Janeiro extraída do Twitter da Polícia Militar. “Atenção. Evitem o uso de máscaras. Evitem provocações e desacato. Afastem-se desses elementos”, diz o texto que acompanha a imagem. Foto: PMERJ.

18h15 – RIO DE JANEIRO –   Faltando uma hora para o início do jogo Brasil x Espanha, pela final da Copa das Confederações, os cerca de 5 mil manifestantes se concentram a 400 metros do estádio do Maracanã. Neste momento, eles estão no entroncamento da Rua São Francisco Xavier, com a Avenida Maracanã. Centenas de policiais militares do Batalhão de Choque e agentes da Força Nacional de Segurança fecham as quatro pistas da Avenida Maracanã para impedir que os manifestantes avancem em direção ao estádio. Os policiais do Choque usam escudos, capacetes e cassetetes. Os agentes da Força Nacional, escudos e máscaras antigás.

No trecho que separa o protesto do estádio há um caveirão (carro blindado da PM) e policiais da cavalaria da PM em pelo menos quatro barreiras. Não houve confronto até o momento. Os manifestantes gritam palavras de ordem como “Não vai ter Copa”, “A verdade é dura / a PM apoiando a ditadura” e “Cabral é ditador”, em referência ao governador Sérgio Cabral Filho (PMDB). (Marcelo Gomes e Tiago Rogero)

18h11RIO DE JANEIRO – Além da faixa no campo do Maracanã contra a privatização do estádio, houve também uma que pedia o fim do preconceito contra os gays. Foto: Nilton Fukuda/ Estadão Conteúdo.

18h06 – RIO DE JANEIRO – Durante o show de Ivete Sangalo no Maracanã antes da partida entre Brasil e Espanha, um dos manifestantes que estava dentro de uma das bolas que enfeitavam o gramado saiu do traje e, junto com outro participante, estendeu uma faixa pedindo a anulação da privatização do estádio. Foto: Nilton Fukuda/ Estadão Conteúdo.

17h46 – RIO DE JANEIRO – Os manifestantes surpreenderam há pouco os policiais que acompanham o protesto. Enquanto os PMs que fazem o cordão de isolamento passaram pelo Largo da Segunda-Feira em linha reta, em direção à Rua Heitor Beltrão, os manifestantes subitamente entraram à esquerda, na Rua São Francisco Xavier, que é um dos principais acessos ao Maracanã. Surpresos com  o trajeto adotado pelos manifestantes, os PMs precisaram dar a volta no quarteirão para voltar a se posicionar à frente da passeata. Houve corre-corre, mas mesmo assim os policiais não conseguiram impedir que a Rua São Francisco Xavier fosse interditada. A PM, então, montou uma grande barreira na esquina com a Rua Mariz e Barros, que fecha completamente a continuidade da manifestação pela São Francisco Xavier. Motoristas estão assustados com a movimentação. O clima é tenso. (Marcelo Gomes e Tiago Rogero)

17h34 –  RIO DE JANEIRO – Após meia hora de caminhada pela Rua Conde de Bonfim, a manifestação passa nesse momento no cruzamento com a Rua Alzira Brandão, tradicional ponto de concentração de torcedores em dias de jogos do Brasil em Copas do Mundo.  A multidão comemora a cada vez que  moradores dos prédios no trajeto piscam as luzes, jogam papel picado e balançam bandeiras brancas e do Brasil em apoio ao movimento. O percurso feito pelos manifestantes não é o que os levaria mais rapidamente ao Maracanã. Eles estão chegando no término da Conde de Bonfim, no trecho em que a via passa a se chamar Rua Heitor Beltrão. Se a manifestação seguir esse trajeto, ela vai parar na Praça Afonso Pena, mesmo local onde terminou o protesto anterior, a cerca de dois quilômetros do estádio. Dessa forma, o protesto não segue na direção do Maracanã, mas o circunda. (Marcelo Gomes)

Com medo de quebra-quebra, lojas que normalmente funcionam domingo (como farmácias, restaurantes e supermercados) fecharam as portas. Um helicóptero da PM acompanha a manifestação, voando a baixa altura. Quanto mais a passeata avança, aumenta a quantidade de PMs que ficam à frente dos manifestantes para controlá-los. (Marcelo Gomes)


17h29 –  RIO DE JANEIRO – Assista a vídeo com imagens da manifestação que reuniu cinco mil pessoas no Rio de Janeiro nesta manhã. A passeata, que teve início pela manhã, terminou quando o grupo foi impedido de chegar ao Maracanã por uma barreira policial. Mesmo assim, não houve conflito.

17h18 –  RIO DE JANEIRO – A Polícia Militar informa que 6 mil policiais e 100 viaturas estão patrulhando o Maracanã e acessos ao estádio.

17h15 – RIO DE JANEIRO – A Polícia Rodoviária Federal apreendeu mais de 500 camisetas falsificadas da seleção brasileira num ônibus que seguia de São Paulo para o Rio. A apreensão ocorreu no quilômetro 227, na Rodovia Presidente Dutra, em Piraí. As 530 camisetas ­– réplicas dos uniformes de jogo e de treino da seleção – seriam vendidas nas imediações do Maracanã, segundo informou o proprietário, que não teve o nome divulgado. Em nota, a PRF informou que intensificou a fiscalização dos ônibus que seguem para o Rio de Janeiro. Quarenta ônibus foram fiscalizados nesta manhã (Clarissa Thomé)

17h10 – SOROCABA –  Manifestantes vão tentar ocupar os pedágios paulistas nesta segunda-feira (1) para exigir a redução nas tarifas e mudanças no modelo de concessão. A convocação feita por meio eletrônico é assinada por nove grupos, entre eles o Movimento Passe Livre (MPL) que se mobilizou pela redução nas tarifas de ônibus. Entre os pontos de concentração divulgados pelos manifestantes estão o bairro de Moreira César, em Pindamonhangaba, no Vale do Paraíba; a SP-75, em Indaiatuba, região de Campinas, e a Praça da Moça, em Diadema, região metropolitana de São Paulo. Desses locais, os grupos se deslocam, a partir das 17h30, para pedágios próximos. (José Maria Tomazela)

17h07 – RIO DE JANEIRO  – Manifestantes fecharam há pouco duas pistas da Rua Conde Bonfim, no trecho em frente à Praça Saens Peña, na Tijuca, e seguem em direção ao Maracanã. Nesse momento abrem bandeiras com dizeres contra a Copa, o governador Sérgio Cabral Filho e o prefeito Eduardo Paes, ambos do PMDB. Há forte policiamento no local. Acompanham PMs, integrantes da Força Nacional e Guardas Municipais. (Marcelo Gomes e Tiago Rogero)

16h55 – BELO HORIZONTE – Manifestantes que estão na Câmara de Belo Horizonte pretendem passar a noite na Casa. Mais cedo, eles se reuniram com  o secretário de Governo, José Valadão, e o presidente da BHTrans, Ramon Victor Cesar, emissários do prefeito Marcio Lacerda. Os manifestantes foram informados de que haveria uma decisão quanto à data e hora da reunião com o prefeito por volta das 15h. Mas a resposta foi de que o encontro acontecerá somente quando houver disponibilidade na agenda de Lacerda. A Polícia Militar está em frente à Casa e a Tropa de Choque ocupa o plenário. Há 250 manifestantes no hall de entrada da Câmara.

16h43RIO DE JANEIRO – O clima neste segundo protesto é completamente diferente do anterior. Pela manhã, quando 5 mil pessoas seguiram pacificamente até a praça Afonso Pena, a maioria era de jovens e não havia pessoas de preto ou encapuzadas. Militantes de partidos balançavam suas bandeiras e não eram hostilizados. Os gritos eram mais bem humorados. No protesto de agora, depois de a PM deter um rapaz encapuzado e liberá-lo após revista, os militares foram hostilizados por parte dos manifestantes. Há pouco, uma equipe da TV Globo deixou a praça com escolta da PM para ir embora. A polícia calcula que 5 mil pessoas estão na concentração.

A máscara de Guy Fawkes, popular nos protestos, mudou de cor nesta manifestação de hoje na praça Saens Peña. Segundo o ambulante Gabriel Barros, de 20 anos, acabou a tinta branca e por isso todas as máscaras estão na cor salmão. Ele contou ter vendido já 100 máscaras, no protesto de mais cedo e neste, cada uma a R$ 10. As máscaras dividem espaço com camisas da seleção (número 10 e o nome de Neymar), vendidas a R$ 30,00. O ambulante contou já ter comercializado 50 peças. (Tiago Rogero)

 

16h28 – RIO DE JANEIRO – Houve princípio de confusão na Praça Saens Peña. Uma equipe da Rede Globo começou a ser hostilizada por um grupo de manifestantes. A PM passou a fazer a segurança dos jornalistas, que rapidamente deixaram o local. O clima voltou a ficar tenso quando os policiais cercaram um rapaz que escondia o rosto com a camiseta. Os manifestantes, aos gritos, pediram a libertação do rapaz, que pôde continuar no local depois de vestir a roupa. (Marcelo Gomes e Tiago Rogero)


 

16h17 – BELO HORIZONTE – Em assembleia dentro da Câmara Municipal, manifestantes criticam falta de posicionamento oficial do prefeito Marcio Lacerda sobre pedido de reunião. A expectativa era que o encontro fosse agendado até 15h deste domingo. O grupo, que ocupa o prédio do Legislativo desde sábado, cobra mais transparência nos contratos com as empresas de transporte coletivo. Segundo a PM mineira, nenhum incidente foi registrado no local.

16H11 – RIO DE JANEIRO – Nos protestos deste domingo, dia da final da Copa das Confederações no Maracanã, a ONG A Partir do Rio protesta contra a operação policial de segunda-feira (24) na Favela Nova Holanda, que deixou um PM e nove moradores mortos. Neste momento, 50 policiais militares estão na Praça Afonso Penna, na Tijuca. Um carro da Força Nacional reforça a segurança, e um helicóptero da PM sobrevoa o local. (Mariana Durão, Marcelo Gomes, Tiago Rogero)

Manifestantes estão acampados no jardim e no prédio da Câmara Municipal de BH desde sábado. Foto: Assembleia Popular Horizontal/Divulgação

16H04 – RIO DE JANEIRO – Dissipou-se há pouco a passeata que começou pela manhã. Os manifestantes, impedidos pela barreira policial de chegar ao Maracanã, seguiram pacificamente até a Praça Afonso Penna. Parte do grupo voltou à Praça Saens Peña, de onde partirá neste domingo a segunda manifestação prevista. Neste momento, cerca de 2 mil pessoas estão no local. Os integrantes da Frente Nacional de Torcedores, que invadiram e ocuparam por cerca de 30 minutos o prédio da nova sede da CBF pela manhã, na Barra da Tijuca, também estão na Praça Saens Peña para o protesto rumo ao estádio. (Mariana Durão, Marcelo Gomes, Tiago Rogero)

15H40 – RIO DE JANEIRO – Diferente de outras manifestações, o movimento deste domingo agregou membros de partidos políticos, representantes de movimentos sociais, líderes estudantis e sindicalistas. Partidos como o PSTU e PSOL participaram sem serem hostilizados. (Mariana Durão)

15h39 – BELO HORIZONTE – Manifestantes que ocupam a Câmara Municipal fazem assembleia para debater pauta de reivindicações. Grupo permanece no prédio desde sábado.

Barreira policial impede a passagem de quase 5 mil manifestantes, segundo a PM do Rio de Janeiro, concentrados nas imediações do Maracanã. Vídeo: Luís Felipe

15h20 – RIO DE JANEIRO – Concentrados na Praça Afonso Penna, na Tijuca, manifestantes leram os principais pontos de protesto. Entre as reivindicações, estão o fim do processo de concessão do Maracanã à iniciativa privada, a reabertura do Parque Aquático Julio Delamare e a reconstrução da pista de atletismo do estádio Célio de Barros, destruída na reforma do estádio para a Copa. Uma grande bandeira, que cobre pelo menos 10 janelas de dois andares, foi estendida no topo de um prédio em frente à praça. Ela traz a mensagem: “Unfair players: Fifa, Police, Cabral e Paes”, em referência ao governador e prefeito do Rio, brincando com a bandeira de “Fair play” da Fifa. (Mariana Durão, Marcelo Gomes e Tiago Rogero)

15h09 – SALVADOR – Com baixa adesão, o protesto organizado pelo Movimento Passe Livre local terminou de modo pacífico. Embora mais de 20 mil pessoas tenham confirmado presença na passeata pelas redes sociais, menos de mil participaram do ato público. Os manifestantes tentaram se aproximar da Arena Fonte Nova, palco do jogo entre Uruguai e Itália pela Copa das Confederações, mas foram impedidos pela polícia. (Tiago Décimo)

14H45 – FORTALEZA – Aproximadamente 150 crianças fizeram uma manifestação no fim da manhã deste domingo, no Passeio Público da capital cearense. O protesto foi acompanhado pelos pais, que ajudaram os filhos na confecção de cartazes cobrando melhorias sociais. (Lauriberto Braga)

14h35 – O protesto que reuniu cerca de 1.200 pessoas em Taboão da Serra, na região metropolitana de São Paulo, foi encerrado, segundo a Polícia Militar. Depois de bloquear a Rodovia Régis Bittencourt por alguns minutos e seguir para as imediações do Shopping Taboão, grupo se dispersou. Não houve confrontos com a PM.

14H26 – BELO HORIZONTE – Depois de reunião com representantes do Executivo, grupo que ocupa a Câmara Muncipal de BH decidiu permanecer no prédio e exige a presença do prefeito Marcio Lacerda. Nova assembleia entre os manifestantes está agendada para 15h. Pelas redes sociais, são pedidos utensílios e alimentos para os integrantes do protesto que seguem acampados no imóvel.

14h03 – De acordo com a Polícia Militar, os manifestantes encerraram o protesto contra a violência no Parque do Ibirapuera, na zona sul de São Paulo. Sem registro de incidentes, a passeata reuniu cerca de 250 pessoas.

Depois de passar pela região da Barra da Tijuca, centenas de manifestantes marcharam rumo ao Maracanã. Foto: @GuilhermeJrg

13h50 – RIO DE JANEIRO – Segundo o Centro de Operações da Prefeitura, as interdições em pelo menos 16 vias nas áreas próximas ao Maracanã foram antecipadas em 20 minutos. Somente veículos autorizados, relacionados ao evento e devidamente identificados, poderão circular nos trechos bloqueados. Manifestantes já se deslocam nas proximidades do estádio, que sediará a final da Copa das Confederações entre Brasil e Espanha a partir das 19h. Uma barreira policial impede a passagem de quase 5 mil manifestantes, que já chegaram à região do Maracanã.

13h41 – SALVADOR – Aproximadamente 400 manifestantes estão reunidos no Vale dos Barris, área do acesso sul da Arena Fonte Nova, onde as seleções da Itália e do Uruguai se enfrentam agora pela Copa das Confederações. De acordo com a Polícia Militar baiana, eles se deslocaram da região do Campo Grande até as imediações do estádio de forma pacífica.

13h34 – RIO DE JANEIRO – Segundo a Polícia Militar, manifestantes se deslocam agora pela Rua São Francisco Xavier, na altura da Igreja São Francisco Xavier, rumo ao estádio do Maracanã. Representantes da Ordem dos Advogados do Brasil, da Defensoria Pública, além dos Ministérios Públicos estadual e federalvão acompanhar de dentro do Centro de Controle Móvel da PM as operações durante os protestos marcados para a tarde deste domingo. (Marcelo Gomes e Tiago Rogero)

13h25 – De acordo com a concessionária Autopista, os manifestantes de Taboão da Serra liberaram totalmente a Rodovia Régis Bittencourt, na altura do km 270. As pistas ficaram bloqueadas por poucos minutos no começo da tarde pelos integrantes da passeata.

13h17BELO HORIZONTE – De acordo com a PM mineira, cerca de 300 pessoas permanecem dentro da Câmara Municipal de BH. O grupo hasteou bandeiras de movimentos sociais em frente ao prédio. Um protesto também era esperado na Praça Sete, região central da cidade, mas ainda não há concentração de manifestantes.

Mais de 250 manifestantes se vestiram de preto para a passeata contra a violência na zona sul de São Paulo. Foto: Fábio Saboya/Facebook

13h09RIO DE JANEIRO – Policiais acompanham mais de 5 mil manifestantes, que se deslocam pela Avenida Maracanã, no sentido da Rua São Francisco Xavier. Às 19h, a seleção brasileira enfrenta a Espanha no estádio carioca pela final da Copa das Confederações.

13h06 – Aproximadamente 250 manifestantes acabaram de chegar ao Parque do Ibirapuera, na zona sul de São Paulo, em protesto contra a violência urbana. De acordo com a Polícia Militar, a passeata é pacífica.

12h49 – Em função dos protestos que reúnem quase mil pessoas em Taboão da Serra, na região metropolitana de São Paulo, o Shopping Taboão foi momentaneamente fechado por medida de segurança. Embora o grupo permaneça nas imediações, o centro comercial já foi reaberto.

12h43RIO DE JANEIRO – De acordo com a Polícia Militar, cerca de 1.500 manifestantes se deslocam para a Praça da Vanhargem, perto do estádio do Maracanã.

12h38 – Segundo a CET, o Túnel Sebastião Camargo foi totalmente liberado pelos manifestantes que protestam contra violência na zona sul de São Paulo.

12h12 – Mil pessoas fazem passeata nas ruas centrais de Taboão da Serra, região metropolitana de São Paulo, no fim da manhã deste domingo. De acordo com a Polícia Militar paulista, não houve registro de nenhum incidente na passeata, que reivindica melhorias no sistema de transporte e moradia.

12h05 – Cerca de 250 pessoas deixaram o Túnel Sebastião Camargo e atravessam a Avenida Santo Amaro, na zona sul de São Paulo, durante manifestação. Segundo a CET, o protesto agora bloqueia o tráfego na Rua Antônio Joaquim de Moura Andrade. O fim do trajeto da passeata deve ser no Parque do Ibirapuera.

Manifestantes cariocas protestas contra a Fifa perto do estádio do Maracanã. Foto: Alex Silva/Estadão

11h39BELO HORIZONTE – Cerca de 300 manifestantes ainda ocupam a Câmara Municipal de BH, de acordo com a Polícia Militar de Minas Gerais. A pressão do grupo, que está no prédio do Legislativo desde a manhã de sábado, fez com que os vereadores aprovassem em segundo turno a redução de R$ 0, 05 nas tarifas de ônibus da capital mineira. Nenhum incidente, segundo a PM, foi registrado no local nesta manhã. Nas redes sociais, foi marcada novo protesto no centro de BH. Os manifestantes sairiam da Praça Sete e seguiriam rumo à Assembleia Legislativa.

11h32 – Manifestantes organizam protestos em Salvador e no Rio de Janeiro, cidades que sediarão as partidas finais da Copa das Confederações. Por causa dos dois grandes atos públicos esperados nas imediações do Maracanã, foi preparado um forte esquema de segurança com 10 mil policiais e 7.400 militares do Exército, Marinha e Força Aérea. Na capital baiana, integrantes do Movimento Passe Livre local planejam uma passeata até o acesso sul da Arena Fonte Nova. Cerca de 22 mil pessoas confirmaram presença no evento pelo Facebook.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.