Sacerdotes colombianos rezam pela eleição de Marc Ouellet

Viviane Bittencourt

13 de março de 2013 | 14h27

BOGOTÁ – COLÔMBIA (AP) – Na cidade de Manizales, na Colômbia, sacerdotes e seminaristas rezam missas diariamente pedindo para o Espírito Santo iluminar os cardeais que estão reunidos desde ontem no conclave que escolherá um novo papa.

Entenda como funciona o conclave.

Mas, na missa matutina do Seminário de Manizales realizada nesta quarta-feira, os seminaristas rezaram especialmente para um dos cardeais: o canadense Marc Ouellet, de 68 anos, pertencente à ordem francesa de Sulpicianos.

Os sulpicianos canadenses administraram o seminário nos anos 50 e foi lá que Ouellet, anos mais tarde (1974-1978) esteve como professor e como reitor do seminário (1984-1988).

“Nós pedimos a Deus….que seja Deus quem eleja o novo pontífice”, disse à AP o padre Oscar Gonzáles, que também foi reitor no seminário em 2010 e considera o cardeal Ouellet seu amigo pessoal. “Mas nós que o conhecemos (Ouellet) e somos amigos dele, pedimos ao Senhor e oramos por ele. Eu sei que ele está disposto a servir à Igreja”, disse.

Questionado sobre por que não rezar para que o novo papa seja o cardeal colombiano Rúben Salazar, de 70 anos, Gonzáles explica: “Porque ele acaba de se tornar cardeal. Está muito jovem”. O papa emérito Bento XVI nomeou Salazar cardeal em novembro do ano passado.

Possibilidade. Nascido no Quebec, no Canadá, o cardeal Marc Ouellet aparece como um dos nomes favoritos à suceder o papa emérito Bento XVI, mas já afirmou, em 2010, que “ser papa seria um pesadelo”. Aos 68 anos, é prefeito da Congregação para os Bispos e o responsável pela Pontifícia Comissão para a América Latina, órgão da Cúria Romana que estuda os problemas relativos à vida e ao desenvolvimento da Igreja na América Latina. Por causa desse trabalho, tem um bom trânsito entre os cardeais do continente.