Rodovia Rio-Santos é liberada após queda de barreiras

Estadão

18 de março de 2013 | 18h02

Reginaldo Pupo, de O Estado de S.Paulo

São Sebastião (SP) – O Departamento de Estradas e Rodagem (DER) liberou às 14h30 desta segunda-feira, 18, o trânsito na Rodovia Rio-Santos, no trecho de serra entre Maresias e Boiçucanga, em São Sebastião, litoral norte de São Paulo. As fortes chuvas que atingem a região obrigaram o órgão a interditar a via a partir do meio dia de domingo, 17, devido à queda de 12 barreiras. Não está descartada nova interdição no caso da ocorrência de novas chuvas. O tráfego é moroso em ambos os sentidos já que o fluxo segue por meio de comboios montados pela Polícia Rodoviária Estadual. A Rodovia Mogi-Bertioga segue interditada desde domingo, 17.

O motorista deve redobrar os cuidados já que a área ainda é instável, segundo o diretor regional do DER, Orlando Morgado Junior.  Ainda há máquinas na pista e diversos caminhões de concessionárias de energia elétrica e telefonia ao longo do trecho de sete quilômetros da serra. “A demora para a liberação da pista foi motivada pelos iminentes riscos de desabamentos.” Segundo Junior, a Rio-Santos somente seria liberada após avaliação de geólogos do departamento, que chegaram por volta das 13h. “A pista já estava desobstruída e lavada, mas preferimos aguardar a avaliação dos geólogos para liberar o trânsito.” A via está sendo monitorada por técnicos do DER e por policiais rodoviários.

A cidade continua em estado de calamidade pública. Técnicos da Defesa Civil do Estado realizaram vistorias nas áreas de riscos. “Hoje devem estar chegando um carregamento de colchões vindos de nosso estoque em São Paulo, já que muita gente não tem como dormir”, afirmou o coordenador regional da Defesa Civil do Vale do Paraíba, Rinaldo de Araújo Monteiro. O número de desabrigados saltou de 645 ontem para cerca de mil hoje, segundo a Defesa Civil. Muitas pessoas estão em casas de amigos e parentes. Três famílias permanecem no ginásio de esportes de Boiçucanga, que também foi atingido.

Na Vila Lobo Guará, localizada em Camburi, há 114 famílias ilhadas. “Estamos fornecendo água mineral e mantimentos, pois essas pessoas perderam tudo”, disse o chefe da Defesa Civil de São Sebastião, Carlos Eduardo Santos. O órgão realiza a travessia de moradores por meio de barcos, já que a principal rua de acesso ao bairro se transformou num rio.

Tudo o que sabemos sobre:

ChuvasRio-SantosSão Sebastião