Vaticano dá coletiva e explica como é produzida a fumaça

Viviane Bittencourt

13 de março de 2013 | 09h53

O padre Federico Lombardi, porta-voz do Vaticano, inciou uma entrevista coletiva às 9h (horário de Brasília) para explicar os resultados do conclave até este momento: ao todo, foram 3 votações sem sucesso e duas emissões de fumaça preta, indicando que a Igreja ainda não tem um novo líder.

Lombardi explicou tecnicamente como é produzida a fumaça. Ela é produzida por meio de um dispositivo eletrônico instalado dentro de uma moderna estufa: em uma delas, são depositados os votos, na outra, é inserido um cartucho com 5 produtos químicos que vão dar “cor” à fumaça.

Em 2005, o Vaticano causou confusão por não ter instalado um sistema em que a cor da fumaça era explícita. Ontem a Santa Sé ficou satisfeita com o resultado de seu novo sistema. A chaminé expulsou uma forte e longa fumaça negra, não deixando dúvidas a ninguém.

O Vaticano aproveitou para esclarecer que a fumaça não provoca nenhum tipo de dano às pinturas da Capela Sistina, nem aos cardeais, que saíram de lá hoje “com perfeita saúde”. O porta-voz informou também que Bento XVI está assistindo a tudo pela televisão.

 

Escolha do nome. Ainda durante a entrevista coletiva, Lombardi afirmou que caberá unicamente ao papa eleito a escolha de seu nome e somente ele poderá explicar os motivos por que o escolheu. O papa Bento XVI, por exemplo, escolheu este nome por sua devoção a São Bento. “Esperamos que o novo papa, quando escolher seu nome, poderá dar indicações do motivo”, disse.

Lombardi também informou que não está previsto que o papa emérito Bento XVI esteja presente na missa de início do pontificado do novo papa.

Mulheres. O porta-voz da Santa Sé disse também que o grupo de mulheres que prostestou ontem será bem vindo se quiserem voltar para a Praça São Pedro para acompanhar os resultados do conclave. “Elas podem vir, mas devem estar atentas à previsão metereológica”, numa referência ao frio que faz em Roma e ao fato de as mulheres terem tirado a roupa durante o protesto.

Questionado sobre a data do início do novo pontificado, Lombardi respondeu que 19 de março seria um bom dia para a missa inaugural do novo pontífice, já que São José é o patrono universal da Igreja.

Ao ser perguntado sobre o fato de países com muitos católicos serem representados por poucos cardeais, Lombardi afirmou que “um critério estritamente proporcional não se adapta a uma comunidade como a Igreja”. Segundo ele, nas últimas décadas, os papas têm feito um trabalho de universalização do Colégio Cardinalício.

Pausa. Caso o papa não seja eleito até sexta-feira, poderá haver uma pausa no sábado e as votações continuariam no domingo, disse Lombardi em coletiva. “Pelo que entendo da constituição apostólica, faz-se quatro dias de votação e depois há um dia de interrupção, que seria no sábado.” Se o papa for eleito até sexta-feira, é possível que ele recitará a oração Angelus já neste domingo.