À procura de luz

Estadão

29 Março 2012 | 07h00

 sonho.jpg

(Ilustração: Gwendal Blondelle/Ed. Companhia das Letrinhas/Reprodução)

(Por Aryane Cararo)

Era noite. Sempre noite. E o acendedor de sonhos trabalhava sem parar. Desde que o sol e a luz tinham ido embora, muitos anos atrás, era sempre assim: o escuro e ele, um gigante empenhado em levar um pouco de claridade para a Terra. Até que numa daquelas noites eternas, o acendedor encontra uma criança em busca de água (naquele tempo, não havia água, nem planta, nem animal). A criança só queria regar o que tinha de mais precioso: um girassol, sua flor feita de sol. E os dois partem à procura de água para a planta sobreviver, uma busca pela esperança de ter um planeta como antigamente, com o perfume das flores, o frescor da água e o azul do céu.

O livro O Acendedor de Sonhos, da francesa Dorothée Piatek, tem essa história meiga, que fala da importância da natureza, de seu preço incalculável, de esperança e de partilha. E que tem um título que nos faz sonhar.

O Acendedor de Sonhos. Texto: Dorothée Piatek. Ilustrações: Gwendal Blondelle. Companhia das Letrinhas, R$ 29.