Bruxas e monstros

Estadão

31 Outubro 2011 | 06h50

halloween.JPG

(Por Aryane Cararo)

Hoje (dia 31) não se comemora apenas o Dia do Saci. É Halloween ou Dia das Bruxas, uma festa que surgiu provavelmente entre os celtas, um povo muito antigo que viveu na Europa muito antes de Cristo. Em 31 de outubro eles comemoravam o seu ano novo e o início do inverno, e acreditavam que demônios e fadas ficavam livres para aterrorizar todo mundo nesta noite. Por isso, acendiam fogueiras, se vestiam com peles e cabeças de animais e ofereciam comida para acalmar a fúria dos espíritos.

Hoje, as crianças se vestem de monstros e saem às casas pedir doces, especialmente em países como Estados Unidos, Irlanda e Inglaterra. No Brasil, este costume não é muito forte, mas tem gente que comemora a data se fantasiando e fazendo uma festa. No México, celebra-se amanhã e depois (dias 1 e 2) o Dia dos Mortos. Para você ver, muitos lugares do mundo festejam os espíritos e monstros por esses dias. Por isso, resolvemos colocar aqui um livro muito bacana que conta lendas sobre monstros de várias partes do mundo: O Livro dos Monstros! Olha só:

América do Norte (dos índios Passamaquoddy): o Chinu é um bicho malvado, com dentes afiados, de coração cruel e gelado, que soltava berros assustadores e comia pessoas, quando era trazido pelos ventos gélidos até onde elas viviam. Acontece que um dia ele encontrou uma índia esperta, que resolveu lhe dar carinho e tratá-lo como da família. Será que ele foi enganado?

Austrália (dos povos aborígenes): Wurrawilberu é o nome do malvado espírito do furacão. Ele roda, rodopia, salta, corre, uiva e espalha pó e espinhos para todos os lados. Um dia, ele resolveu assustar uns sapos preguiçosos e eles ficaram com tanto medo que, dizem, até hoje correm para a água e ficam em silêncio ao menor dos barulhos. Será?

Nepal: Shopka é o abominável homem das neves, um monstro de pelos brancos e dentes afiados, que tem uma varinha mágica para atender a seus desejos. Fato é que esse monstrengo não é nada mau, pelo menos não é o que parece na história em que ele encontra o menino Ramay.

África do Sul (Bantu): a Mãe dos Monstros é um bicho enorme, de escamas grossas cobertas de lodo, que vive no rio Ilulange e odeia ser incomodada. Mas eis que um dia, uma princesa metida e corajosa, chamada Ntombi, decide perturbá-la e a monstrenga acaba devorando-a. E não é que ela pega gosto pelo sabor de carne humana e começa a comer um monte de gente!? Que guerreiro vai conseguir deter a Mãe dos Monstros?

Taiti: já ouviu falar na Rona Dentões? É uma mulher-monstro, de dentes pontiagudos, que conhece uma série de feitiços e devora gente. Quando está com fome, começam a surgir dentes por todas as partes de seu corpo. É um horror! Bem, Rona tem uma filha chamada Rina, muito boa e bonita, que se apaixona por um garoto chamado Monoi. Ai ai ai. A monstrenga não vai gostar nada disso!

Itália: sabia que lá morava um ogro cheio de penas mágicas? Todos os anos ele capturava cem moças e rapazes para comê-los ao longo dos meses. Um dia, por infelicidade, o rei adoeceu e a única coisa que o salvaria era uma pena do ogro. Mas quem teria coragem suficiente para ir até a ilha do monstro e arrancar uma de suas penas?

O Livro dos Monstros
Texto: Fran Parnell
Ilustração: Sophie Fatus
Tradução: Heloisa Jahn
Editora Companhia das Letrinhas, R$ 34.