Histórias de goleiros

Estadão

05 Maio 2012 | 07h30

goleiros_capa_div_menor.jpg

 (Por Natália Mazzoni)

Antes de sair correndo e treinar no gol, vale a pena ler um pouco mais da entrevista com Paulo Guilherme, autor do livro Goleiros – Heróis e Anti-Heróis da Camisa 1 (Editora Alameda, R$ 48).

Os goleiros existem desde o começo do futebol?
 Na verdade, quando inventaram o futebol em 1863, na Inglaterra, os goleiros não existiam, os jogadores da linha defendiam a bola com o pé. Só oito anos depois foi criada a posição de goleiros, que jogava sem luvas. Foi assim que o futebol começou a tomar figura. Uma curiosidade é que ainda nesse começo do século 20 não tinham regras como hoje, que se alguém encostar e derrubar o goleiro acontece uma falta. Os jogares trombavam e derrubavam os goleiros à vontade e o gol valia.

Quando vieram as luvas?
Goleiro só começou a jogar com luvas no Brasil no começo dos anos 70. Um goleiro chamado Jaguaré Bezerra de Vasconcelos foi jogar na Europa nos anos 30 e voltou usando luvas, já que lá era muito frio. Mesmo assim não pegou, os goleiros daqui continuaram a jogar proteção nas mãos. Na Copa do Mundo de 70 já se usava, mas o goleiro do Brasil Felix não. Essa história é até curiosa, já que todos comentavam que ele era antiquado por jogar sem luvas. Chegou a final e ele colocou as luvas, fazendo com que todos ficassem com medo dele errar, por não estar acostumado. Mas deu tudo certo, o Brasil ganhou.

O nome do seu livro diz que goleiros são heróis e anti-heróis no futebol. Por que?
O goleiro é o único jogador em campo que não tem o direito de errar, é uma posição muito ingrata. Os atacantes perdem gols, perdem pênaltis. Mas o goleiro não pode, se ele frangar toma um gol e muda o rumo da partida. São anti-heróis, não deixam acontecer o que todos querem ver: o gol.

Na sua opinião, qual foi o maior frango da história?
O pior que eu já vi no estádio foi de um goleiro chamado Tonho, do São Paulo, em 1985. Ele achou que era uma falta indireta e que o jogador não poderia chutar direto para o gol. Mas a falta era direta, o jogador chutou para o gol, ele levantou os braços e reclamou para o juiz, achando que nada estava valendo. Tomou um frango por errar a regra.
Tem também um frango do Moré Moreira em 1935. O time dele estava atacando e ele aproveitou para perguntar a um torcedor o resultado de um outro jogo. O time adversário pegou a bola e um jogador aproveitou que ele estava conversando e fez o gol.

E uma defesa espetacular?
Teve uma sequência de defesas do Rodolfo Rodrigues do Santos, em 1984. Ele defendeu 5 bolas em 13 segundos. Foi bem espetacular. Tem também uma defesa do colombiano  Higuita. Um jogador da Inglaterra chutou, ele deixou passar a bola por cima da cabeça dele, jogou o corpo para frente e defendeu com os pés. Foi inacreditável.

Ficou curioso para ver a defesa de Higuita? Olha só o vídeo.