Onde mora a felicidade

Estadão

25 de março de 2013 | 07h01

paulina3_1.jpg

(Por Aryane Cararo)

“Dizem que a infância é o período mais feliz da vida. Não para Paulina.”

É assim que começa o gracioso e tocante livro Paulina, escrito e ilustrado por Maria Eugenia. Perdi as contas de quantas vezes já ouvi essa frase: “A infância é o período mais feliz da vida”. E, toda vez que escuto, lembro bem de um dia quando eu era criança e estava bem triste. Não me recordo o que me fez ficar triste, mas lembro da sensação e das palavras que brotaram no meu pensamento e foram ditas diretamente para a parede: “Não sei porque dizem que a infância é o período mais feliz da vida. Todo mundo acha que criança não tem problema. Quando eu crescer, eu vou me lembrar bem disso e não achar que criança não sofre”. Pois é. Lembrei. E me lembro toda vez que ouço essa mesma frase. Foi como uma promessa para nunca ser injusta com uma criança.

Então, quando li o comecinho de Paulina, senti o coração batendo rapidinho. Que coisa bacana alguém ter feito uma história assim. E quer saber? Queria que Paulina tivesse existido quando era criança. Porque eu teria descoberto com o livro onde mora a verdadeira felicidade, coisa que só depois de muitos anos eu descobri.

No livro, Paulina estava triste. Sua mãe estava sempre brava. Seu pai foi embora. Ela teve de mudar para um apartamento. E, como se não pudesse piorar, seu cachorrinho não pôde ir com ela. Paulina chorou e chorou e chorou. Dormiu de tanto chorar. Então, descobriu um lugar onde todas as coisas boas estão: dentro dela própria. Foi assim que teve sonhos lindos e acordou feliz. Daquele dia em diante, descobriu como sempre transformar um dia ruim num dia ensolarado. Maria Eugenia, as crianças que um dia já se sentiram tristes vão agradecer por esse sábio conselho!

paulina2.jpeg

Paulina. Autora: Maria Eugenia. Peirópolis, R$ 28.