Por pouco

Estadão

12 Abril 2012 | 07h01

Aranha_por_um_fio.jpg

 

(Por Aryane Cararo)

Toda aranha já nasce sabendo o que faz uma aranha? E se ela tiver preguiça de tricotar uma teia? E se, por acaso, ela imaginar que é mais divertido brincar do que ficar tecendo seus fios? Puxa, ela pode achar mais divertido brincar de aranha-homem, não?

E se ela não quiser comer os insetos que se prendem nas teias? Ela deixa de ser uma aranha? Ou só vira uma aranha que não come insetos? Quantas perguntas, não é?

Pois a pequena aranha do livro Aranha Por um Fio quase deixa de ser aranha. É que, no começo, ela não levava muito jeito para fazer teias (e acabou toda enrolada em seus fios). Depois, ela fica um pouco chocada ao saber que terá de comer insetos. Mas, então, ela descobre um jeito de continuar sendo da sua espécie sem fazer o que não gosta.

Quer saber como? Lendo o livro. Quer dizer, “lendo” as suas imagens e entendendo a história que ele conta (inventando um pouquinho também). Porque não tem palavra nenhuma. Só as escondidas na sua imaginação.

Aranha Por um Fio. Autor: Laurent Cardon. Editora Biruta, R$ 40.