Qual é o cardápio?

Estadão

13 de novembro de 2010 | 07h00

Pode ser que você não goste de brócolis, odeie beterraba, não suporte cenoura e queira fugir quando sua mãe fala que fez abobrinha. Ok, tem todo o direito de não gostar (e sua mãe de querer que você, ao menos, experimente). Mas antes de dizer não definitivamente a qualquer comida que estiver em seu prato, saiba o que seu organismo pode estar perdendo…

Os alimentos são classificados de três maneiras: plásticos, energéticos e reguladores. Vamos aprender sobre cada um deles?

carne_400.jpg

Plásticos – São eles que formam o material do organismo (por isso se chamam “plásticos”). Quando o corpo precisa crescer ou quando ele se machuca, são os alimentos plásticos que ajudam a criar novos tecidos. Imagina como ia ser se você se cortasse ou se ralasse e a pele nunca mais voltasse ao normal?

Exemplos: carnes, ovos, soja, peixe, feijão, pão integral, leite e queijo. Eles não podem faltar de jeito nenhum!

macarrao_2010.jpg

Energéticos – Funcionam como o combustível do corpo. Quando a gente brinca, anda, pula, corre, são eles que nos dão força. Legal, não é?

Exemplos: massas, batata, milho, mandioca e doces.

Mas preste atenção: todos os alimentos têm um lado plástico e um lado energético, em diferentes quantidades.

frutas_400.jpg

Reguladores – Como o nome sugere, eles “consertam” as coisas no corpo, e ajudam a melhorar o funcionamento do organismo.

Exemplos: laranja, banana, maçã, abacaxi, mamão, goiaba, pêra, alface, almeirão, chuchu, tomate, cenoura.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.