Construtoras – Canteiros em linha de montagem

Guias Oesp

11 de fevereiro de 2011 | 15h21

Padronização para ganhar escala de produção revoluciona mercado imobiliário no segmento de baixa renda

Construções Pré MoldadasPara sobreviver no mercado imobiliário de baixa renda e driblar a falta de mão de obra, as construtoras brasileiras tiveram de revolucionar sua estratégia: estão mais próximas do setor automotivo do que da construção civil tradicional. Em alguns canteiros de obra, os pedreiros deram lugar a montadores de apartamentos, capazes de erguer uma unidade em menos de 24 horas.

Condomínios que levavam 18 meses para serem entregues, agora, ficam prontos em menos de dez. Em vez de pá e argamassa, esses operários carregam placas de alumínio, que são encaixadas e preenchidas com concreto. Ou montam lajes e paredes pré-fabricadas como se fossem peças de lego. Já existe até banheiro pronto: com revestimento, chuveiro, pia, espelho – o ambiente chega completo, com a ajuda de um guindaste, dentro do imóvel. Os canteiros também estão mecanizados. Até outrubro deste ano foram vendidos 17 mil equipamentos para a construção civil. No ano passado inteiro foram 13 mil.

As tecnologias são diversas, mas todas têm objetivos comuns: padronizar para ganhar escala e reduzir custos. As novas técnicas começaram a ser estudadas em 2007, quando as grandes empresas do setor reforçaram o caixa com a abertura de capital. Elas já previam que não seria fácil acompanhar o ritmo da construção civil no Brasil com as mesmas práticas. Veio a crise no ano seguinte e os projetos ficaram engavetados. Agora, em 2010, eles deixaram o “plano piloto” para serem empregados de fato nos canteiros de obras.

“É produção em série mesmo”, diz Eduardo Diniz, diretor de engenharia da Rossi – construtora que optou pelo método de pré-moldados. A companhia investiu este ano R$ 20 milhões em fábricas de lajes e paredes. “Basta ter um galpão, formas horizontais e transporte”, explica Diniz. Com um quarto da mão de obra necessária, é possível colocar de pé um condomínio voltado para a população de baixa renda. No sistema convencional, com blocos de concreto, um prédio de cinco andares fica pronto em 95 dias. Com pré-moldados, o tempo cai para 31.

Veja matéria completa em nossa Revista.

Revista Construção – Edição 115 – Guias OESP

Empresas de Construção Pré-Fabricadas – Guias OESP

Empresas de Lajes Pré-Moldadas – Guias OESP

Siga-nos em nosso Twitter: @GuiasOESP

Tudo o que sabemos sobre:

CanteirosPlacas de AlumínioPré-Moldados

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.