Dia a Dia – Curtas I

Guias Oesp

27 de abril de 2011 | 13h19

Material de Construção – Vendas no varejo recuam 5,3% ante dezembro de 2010

Vendas no VarejoAs vendas de material de construção no varejo recuaram 5,3% em janeiro ante dezembro de 2010, de acordo com pesquisa da Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco), realizada em parceria com o Ibope Inteligência. A performance marca o segundo mês consecutivo de queda, após retração de 4,6% em dezembro do ano passado. Em nota, a entidade aponta que apenas o setor de aço apresentou resultado positivo no período, com crescimento de 3,5%. A previsão para os próximos meses é parecida com janeiro, uma queda média nas vendas de até 10%. O varejo do setor apresentou um crescimento de 10,6% em 2010, com faturamento chegando a R$ 49,80 bilhões. “Considerando a continuidade das ações que aqueceram o setor no ano passado, como a desoneração do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), que vale até dezembro deste ano, o programa Minha Casa, Minha Vida e o aumento do crédito e dos financiamentos podemos crescer 11% em 2011”, afirma o comunicado da entidade.

Trem-Bala – Esquenta negociação entre empresas para leilão previsto no final de abril

Trem-BalaA pouco mais de dois meses da entrega das propostas para o trem-bala entre Campinas, São Paulo e Rio, construtoras estão fazendo todos os estudos para analisar a viabilidade do projeto de R$ 33 bilhões. O grupo de 16 companhias lideradas pela Associação Paulista de Empresários de Obras Públicas (Apeop) está em contato com a China Communications Construction Company (CCCC), que participa de consórcios no Brasil na dragagem dos portos. O único grupo a se manter firme na disputa é o consórcio coreano. A entrega das propostas será no dia 11 de abril e o leilão, dia 29. Segundo fontes, o governo não estaria muito satisfeito com a participação de apenas um grupo no leilão e já se mobiliza para criar um consórcio próprio.

Indicador – FGV lança índice de rentabilidade de imóveis comerciais

A Fundação Getúlio Vargas (FGV) lançou em fevereiro o primeiro indicador de rentabilidade do setor imobiliário brasileiro: o Índice Geral do Mercado Imobiliário-Comercial (IGMI-C). A meta é torná-lo uma referência de rentabilidade de imóveis como escritórios, galpões e shoppings, e de formador de preço de compra, venda e locação. O produto contou com apoio de 26 entidades.

Veja essas e outras matérias em nossa Revista.

Revista Construção – Edição 116 – Guias OESP

Siga-nos em nosso Twitter: @GuiasOESP