Indústria Automotiva – Recorde de Produção

Guias Oesp

23 de dezembro de 2010 | 10h05

Indústria automobilística quer fechar o ano com 3,6 milhões de unidades vendidas e defende redução de carga tributária

Indústria Com produção este ano já superando a casa das 3 milhões de unidades, recorde para um período de dez meses, a indústria automobilística brasileira encerrou outubro com 135,3 mil funcionários diretos, o maior contigente desde janeiro de 1.991. Foram 1.227 novos funcionários só em outrubro. Em 12 meses foram abertos 13,5 mil postos de trabalho. Do quadro atual, 116,6 mil trabalham nas fábricas de veículos e 18,5 mil nas de máquinas agrícolas.

“Isso considerando que o sistema produtivo mudou significativamente”, ressalta o preseidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Cledorvino Belini. Segundo ele, a produção é mais enxuta e serviços antes feitos pelas montadoras foram terceirizados, como logísitica e produção de componentes.

De janeiro a outubro, a produção de veículos cresceu 15,3% em relação ao mesmo período de 2.009. A Anfavea espera encerrar o ano com 3,6 milhões de unidades. O mercado interno é o principal responsável pelo desempenho. Foram vendidos até agora 2,8 milhões de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus, 8% a mais que em igual período de 2.009.

PátioO crescimento é desigual porque parte das vendas (18,2%) é de carros importados, participação que cresce e incomoda as montadoras, embora elas sejam responsáveis pela maior parcela do que chega de fora, principalmente de países com os quais o Brasil tem acordo comercial, como Argentina e México. “Em 2.005, importávamos 5% do mercado”, lembra Belini. Paralelamente, ele se queixa da queda das exportações, que, embora tenham melhorado em relação a 2.009, estão abaixo dos valores de 2.008 e, em volume, aquém do que era há cinco anos.

Veja matéria completa em nossa Revista.

Revista Metal Mecânica e Eletroeletrônica – Edição 97 – Guias OESP

Fornecedores de Autopeças – Acessórios – Guias OESP

Tudo o que sabemos sobre:

AutomotivaIndústriaProdução

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.