Indústria de semicondutores reduz emissão de gases que provocam efeito estufa

Guias Oesp

29 Junho 2011 | 15h57

A indústria mundial de semicondutores está produzindo de forma mais limpa. Conforme a Semiconductor Industry Association (SIA), o setor tinha como meta reduzir 10% das emissões dos chamados componentes perfluorados (PFCs). No dia 2 de junho, a SIA divulgou comunicado em que informa que a redução nos últimos dez anos foi da ordem de 32%.

A entidade informa ainda que a indústria de semicondutores decidiu estabelecer uma nova meta para os próximos dez anos, com vista a reduzir em mais 30% a emissão desses gases, que provocam o efeito estufa.

O programa é desenvolvido junto com a WSC- World Semiconductor Council, organização que representa as indústrias de semicondutores de Taiwan, da Europa, do Japão, da Coreia do Sul e dos Estados Unidos, além da China que se filiou em 2007.

Os PFCs fazem parte dos gases que provocam o efeito estufa, mas são essenciais no processo de produção de chips.

O setor vem desenvolvendo novas tecnologias para reduzir as emissões que causam danos ao meio ambiente. Por exemplo, já deixou de utilizar o sulfanato de perfluoretano  (PFOS), em todos os processos em que sua aplicação não seja essencial. Os PFOS são aplicados no processo de fotolitografia para imprimir os circuitos eletrônicos nas bolachas (wafers) de silício.

Mercado – As vendas no mercado global de semicondutores somaram US$ 24,7 bilhões em abril, o que representa uma queda de 2,2% em relação ao mês anterior, quando as vendas somaram US$ 25,2 bilhões. Em relação a abril de 2010, quando as vendas totalizaram IS$ 23,7 bilhões, houve um crescimento de 3,9%.

“Apesar da pequena redução nas vendas em relação ao mês anterior, estamos otimistas porque as vendas do setor cresceram em relação ao mesmo mês do ano anterior”, afirma Brian Toohey, presidente da SIA, destacando que a expectativa é de crescimento moderado para 2011.

Fonte: Ipesi Digital

Empresas de Semicondutores nos Guias Oesp