Insípida, Inodora, Incolor e … tudo que precisamos!!

Guias Oesp

22 Março 2012 | 15h17

Ouvi dizer que a água é insípida, inodora e incolor.

Como assim é insípida,
Se minha sede discorda
E só tem prazer em seu sabor?

Como seria inodora,
Se amo e conheço o cheiro da chuva
Que cai depois de longa estiagem?

E como será incolor,
Se em cada mínima gotícula,
Há um arco-íris sonhando em sair?

Olá leitores, a seguir matéria interessante para comemorarmos juntos o Dia Mundial da Água! Boa Leitura a todos.

Água poluída mata mais do que todos os tipos de violência no mundo, aponta relatório da ONU.

“A quantidade de água suja significa que mais pessoas morrem hoje por causa da água poluída e contaminada do que por todas as formas de violência, inclusive as guerras”, disse o Programa do Meio Ambiente das Nações Unidas. Outro estudo, “Água Doente”, afirma que pelo menos 1,8 milhão de crianças com menos de 5 anos de idade morrem por ano em decorrência da contaminação da água – o que representa uma morte a cada 20 segundos.

Dessalinização ou descontaminação

A população cresce! O consumo de água doce cresce mais ainda, não acompanhando o crescimento da população.

O Brasil, de modo geral, é um país que ainda apresenta boa quantidade de água doce presente em seu território, salvo algumas regiões que são privadas desse recurso. Apesar de existirem regiões com grande quantidade de água doce, o uso desnecessário e/ou incorreto da água tem influenciado na redução desses níveis.

Uma forma de solucionar o problema e vencer mais essa crise é transformar a água salgada em doce. Atualmente muitos países e cidades estão se abastecendo totalmente de água doce extraída da água salgada do mar. Tal processo se chama dessalinização. Mas não é tão simples assim.

Dessalinização refere-se ao processo físico-químico de retirada de excesso de sal e outros minerais da água dos mares e oceanos, muito utilizados em regiões em que há escassez ou difícil acesso à água doce, sendo ela posteriormente, utilizada para consumo humano, irrigação e produção de sal de cozinha. Nos oceanos, tal processo apresenta-se como a principal solução para atender a demanda futura do consumo de água, principalmente para as próximas gerações, já que 95,5% do volume de água existente na terra estão neles.

O Desafio

Porém, como tudo que existe para atender grandes demandas e depende de tecnologia de ponta, há o problema “custo” como principal fator do processo de dessalinização. Conseguir diminuir o custo final da água doce e disponibilizá-la em quantidades suficientes para suprir as regiões escassas é um grande desafio.

Em grande escala, a dessalinização consome grande quantidade de energia e depende de plantas de produção caras e específicas. Portanto, é sempre mais cara, em relação à água doce de rios ou subterrânea.

Alguns processos

São vários os métodos conhecidos para se fazer a conversão de água salgada em doce e torná-la própria para consumo, mas aqui, vamos destacar dois mais importantes: deles representam 88% da dessalinização global: a osmose inversa e a destilação multiestágios.

Osmose inversa: Quando há pressão sobre a solução, a água e o sal são separados, os vírus, bactérias e fungos eliminados, melhorando assim a qualidade da água. Ótima alternativa por possuir menor custo quando comparado com outros sistemas.

Destilação multiestágios: Sistema em que o vapor a alta temperatura faz a água do mar entrar em ebulição. A água passa por diversas células de ebulição-condensação, garantindo um elevado grau de pureza. Neste processo, a própria água do mar é usada como condensador da água que é evaporada.

Curiosidades

Bicicleta produz água filtrada

A empresa japonesa Nippon Basic lançou um sistema de purificação de água que é acionado por energia produzida por pedaladas. A bicicleta purificadora consegue produzir cerca de cinco litros de água limpa em apenas um minuto.

Destilador de água de baixo custo

Um grupo de pesquisadores da USP – Universidade de São Paulo desenvolveu um destilador de água laboratorial de baixo custo. Enquanto os destiladores tradicionais gastam em torno de R$280,00 para destilar 1m³ de H2O limpo, o produzido pela universidade custa cerca de 20 vezes menos.

A pesquisa surgiu de simples estudos envolvendo radiação solar e ultravioleta. Para realizar o aquecimento que gera a purificação, a equipe utiliza um equipamento construído com peças de aquecedor solar doméstico.

Dessanilização de água em Dubai

A falta de água nos Emirados Árabes é um problema existente, mas os valores altíssimos investidos no desenvolvimento do turismo da região chegou até o processo de dessanilização da água. A água consumida por Dubai, uma das cidades mais ricas do mundo, é produto de um caro processo de extração do sal da água colhida do mar do Golfo Pérsico. Essa água abastece vários setores da cidade, inclusive o parque aquático Wild Wadi Park que gasta estimados 200 mil dólares por dia para repor a água de suas piscinas.

Fonte: http://www.ecodesenvolvimento.org.br/noticias/