O Brinquedo é nosso!

Guias Oesp

16 Abril 2012 | 16h12

Caros leitores, já repararam na grande maioria dos brinquedos dos nossos filhos? Quando procuramos sua procedência, o que encontramos? “Made em China”. E nem ficamos surpresos, já estamos acostumados, aliás, nos surpreendemos quando sabemos que eles têm outra origem que não a Chinesa. Mas essa situação pode estar com os dias contados.

A partir de maio próximo, 76% dos brinquedos nacionais vão custar menos de R$ 50, segundo a Abrinq (Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos). O presidente da Associação,  Synésio Batista da Costa, disse que a entidade enviou ao governo, um pedido de redução nos tributos. Trata-se de uma medida de redução de preços, com o objetivo de competir com os brinquedos importados da China.

“Se o consumidor quer preço baixo, é isso o que vamos dar”, diz Costa. Segundo ele, em 2011, 72% dos brinquedos nacionais já tinham preço inferior a R$ 50. “Vamos aumentar essa oferta.”

O limite de R$ 50 foi escolhido porque é a faixa que historicamente vende mais, mostra pesquisa da associação.

Para enfrentar China, 76% dos brinquedos custarão até R$ 50, dizem fabricantes.

Otimismo

Apesar de ser um mês atípico a venda de brinquedos, os comerciantes do segmento estão animados, pois esperam que, com tal redução, suas vendas aumentem entre 20 e 40%.

Essa medida vem de encontro à preferência dos clientes em comprar brinquedos nacionais pela melhor qualidade dos brinquedos importados, porém a concorrência era grande e até mesmo desleal, pelo baixo custo dos importados em relação aos nacionais.

Pretensão real

A Abrinq pretende, nos próximos três anos, estabilizar o mercado brasileiro e chegar num parâmetro de 70% nacional e 30% importado e anuncia que os preços dos brinquedos têm que caírem ao que era praticado em 2009, ficando bem próximo dos valores dos produtos importados da China e ainda promete alcançar as classes D e E.

Em números

Formam a indústria brasileira de brinquedos 523 fábricas, responsáveis pela geração de mais de 25 mil empregos diretos.

A estimativa de faturamento anual é de R$ 3,8 bilhões, 10% a mais que em 2011. Entre 5 mil brinquedos, foram selecionamos 4,5 mil para a estratégia de redução de preço. Essa estratégia leva em conta a alta carga tributária no Brasil e os fabricantes têm que se adaptarem. “Precisamos ter fôlego para concorrer com o estado chinês”, afirma Costa.

Fonte: Abrinq

O que achou da matéria? Concorda, Discorda. Interaja conosco!