Mineração – Melhor desempenho

Guias Oesp

17 de dezembro de 2010 | 10h13

Mercado espera que a Vale supere em 2.011 o recorde trimestral de produção registrado em igual período de 2.008

MineradorasNum cenário de aperto da oferta em relação à demanda de minério de ferro e de investimentos em novos projetos sendo feitos pela Vale, o mercado espera que a companhia supere 2.011 o recorde trimestral de produção da commodity registrado no terceiro trimestre de 2.008, de 85,8 milhões de toneladas. De julho a setembro de 2.010, a mineradora produziu 82,6 milhões de toneladas, seu melhor desempenho desde o recorde do período equivalente há dois anos.

A Vale acaba de divulgar que pretende entregar, até 2.015, todos os projetos que estão em desenvolvimento. O crescimento orgânico será a principal estratégia para a execução do plano da empresa de dobrar de tamanho no período de quatro a cinco anos, considerando suas diversas áreas de atuação.

Há demanda por minério de qualidade, caso da matéria-prima produzida pela Vale, por parte de siderúrgicas de todo o mundo, principalmente da China, que responde por quase metade da produção siderúrgica mundial. Recentemente, o presidente da empresa, Roger Agnelli, disse que a mineradora conta com a continuidade do crescimento dos emergentes, especialmente da Ásia, para que a demanda seja mantida e afirmou que acorda todos os dias e reza para que a China continue a crescer.

MineradorasEmbora outras regiões do mundo estejam ganhando participação, a China continua sendo o principal destino do minério produzido pela Vale. No padrão norte-americano (US GAAP), a participação da China foi de 39,1% no segundo trimestre, ante 66,2% no período do ano passado e de 42,1% no primeiro trimestre. Em setembro, o total das importações chinesas de minério aumentou 18% ante agosto, para 52,6 milhões de toneladas, segundo dados da Administração Geral Alfandegária.

Veja matéria completa em nossa revista.

Revista Metal Mecânica – Edição 97 – Guias OESP

Empresas de Minérios e Minerais – Guias OESP

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.