Pré-sal, produção em alta no Brasil – Plansal

Guias Oesp

08 Junho 2011 | 15h19

Petrobras eleva previsão de investimentos que serão feitos no pré-sal até 2015

Pré-sal, produção em alta no Brasil - PlansalO Conselho de Administração da Petrobras reviu, em maio, para US$ 73 bilhões os investimentos que serão feitos até 2015 no Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado do Polo Pré-sal da Bacia de Santos – Plansal.

A decisão, aprovada em reunião mensal do conselho de administração da empresa, é a primeira relativa à revisão do Plano de Negócios da companhia, visando o período 2011-2015.

Em torno de 74% deste total de investimentos será feito pela Petrobras e o restante por suas parceiras. Se comparado com o montante que seria destinado ao pré-sal pelo plano de negócios do período de 2010-2014, os investimentos representam um aumento de 63,3%. Segundo a empresa, a atual revisão do Plansal consolida a tendência de redução dos custos envolvidos para o desenvolvimento da área, hoje estimada em 45% com relação ao Plano Diretor original de 2008 para 32% com relação ao do último ano. Essa redução é fruto da melhoria alcançada na concepção dos projetos de produção, principalmente pela maior produtividade dos poços – incremento médio em torno de 20% – e pelo melhor conhecimento das áreas potencialmente produtoras.

Ainda segundo a companhia, esses investimentos definidos no primeiro semestre deste ano serão os responsáveis por permitir expressivo aumento de produção do pré-sal e “pavimentar o crescimento constante de produção para o período posterior a 2015”. De acordo com a empresa, como resultado desse esforço empresarial, espera-se que a produção total, chegue em 2015 aos 613 mil barris diários de petróleo, operados pela Petrobras, um acréscimo de 108 mil barris diários em relação ao plano anterior. Desse total, cerca de 60% são próprios e os demais 40% pertencem aos parceiros. Em 2017, a meta de produção anteriormente divulgada de um milhão de barris diários de petróleo, será ultrapassada.
A Petrobras e os avanços no pré-sal

A Petrobras e os avanços no pré-sal A respeito dos avanços da Petrobras no pré-sal da Bacia de Santos, analistas que acompanham a empresa receberam com otimismo os relatórios publicados destacando perspectivas de aumento da produção da estatal na região, associada à menor necessidade de investimentos.

Segundo informado pela Petrobras, a produção da região em 2015 deverá chegar a 613 mil barris diários de petróleo – operados pela Petrobras, acréscimo de 108 mil barris diários em relação ao plano anterior, elaborado em 2008. Já os investimentos necessários para o desenvolvimento da área foram reduzidos em 45% em relação ao Plano Diretor original do mesmo ano.

Para a equipe de análise da empresa Link Investimentos, a revisão dos investimentos necessários decorre da projeção de ganhos a serem obtidos com a maior exploração na região.

“A redução dos investimentos é fruto das novas descobertas, acarretando o potencial de exploração da região, mas principalmente das potenciais sinergias na produção”, destaca a instituição.

Outro ponto ressaltado pelos analistas foi sobre a declaração da Petrobras em relação ao potencial de reservas. Segundo a empresa, a expectativa de volume recuperável potencial das áreas de Lula e Cernambi ultrapassou os 8 bilhões de barris previstos inicialmente. Concomitante, explicou a companhia, “houve um significativo acréscimo considerando os 5 bilhões de barris de óleo equivalente recuperáveis – boer – recentemente adquiridos na cessão onerosa, e que possibilitam o aproveitamento de grandes sinergias com os projetos das áreas licitadas.”

E ao anunciar a previsão de que os investimentos no pré-sal da Bacia de Santos somarão

US$ 73 bilhões até 2015 (74% do total feito pela estatal e os 26% restantes pelas sócias), a Petrobras também voltou a alimentar a discussão sobre o próximo plano de negócios da companhia. Os analistas Frank McGann e Conrado Vegner, do Bank of America Merrill Lynch (BofA Merrill Lynch), sugerem que os investimentos da Petrobras entre 2011 e 2015 somarão entre US$ 240 bilhões e US$ 260 bilhões. A projeção de consenso do mercado, por sua vez, está entre US$ 280 bilhões e US$ 300 bilhões,  ressaltam os analistas.

Os profissionais do Deutsche Bank Marcus Sequeira e Luiz Fonseca destacaram que o anúncio da Petrobras para o pré-sal da Bacia de Santos elevaria o investimento da companhia dos US$ 224 bilhões previstos para o período 2010-2014 para US$ 245 bilhões. A instituição, entretanto, projeta investimentos de US$ 265 bilhões no período.

Veja nossa revista na íntegra.

Revista Metal Mecânica Eletromecânica

Siga-nos em nosso Twitter: @GuiasOESP