Refrigerantes. Boom desafia mix.

Guias Oesp

28 de fevereiro de 2011 | 11h13

Embora Coca-Cola e Antarctica sejam reinantes no mercado de bebidas, seu reino está tomado por centenas de marcas, inúmeros sabores e uma variedade espantosa de embalagens. E isso num mercado maduro, que registrou aumento de consumo pouco maior de 2% nos últimos cinco anos. Entre novembro de 2009 e novembro do ano passado, a categoria de refrigerantes cresceu nada menos de 7,3% em número de itens.

Foram encontrados no mercado quase 1.500 SKUs*, de um total de 194 marcas, seis a mais do que no período anterior. Os dados são de um levantamento feito pela empresa de pesquisa de mercado Gfk. O estudo considerou dados levantados semanalmente em 1.005 lojas,  com pelo menos cinco checkouts em todas as regiões do Brasil e mostram o tamanho do desafio de gerenciar o sortimento do segmento.

ABUNDÂNCIA DE OPÇÕES
Espaço no ponto de venda também cresce

Com tanta oferta, os hipermercados se veem obrigados a aumentar a área de exposição e a metragem da gôndola. A rede paulista Futurama confirma a expansão. Segundo Antônio de Souza, gerente de uma das lojas, a área destinada a refrigerantes e cervejas saltou de 15 para 21 módulos entre 2009 e 2010. A unidade precisou alterar o layout e realocar para outro ponto a água mineral. “Os lançamentos são cada vez mais constantes. Precisamos de espaço, porque o giro de refrigerantes é alto e não dá para fazer reposição o tempo todo”, justifica Souza.

O estudo da GfK identificou também uma crescente variedade de sabores. Além dos tradicionais guaraná e cola, há opções cada vez mais inusitadas, como tutti-frutti, cereja, morango e maçã verde.

Segundo Adalberto Viviani, presidente da Concept, consultoria especializada em alimentos e bebidas, boa parte da invasão desses novos sabores tem relação com a estratégia de fabricantes médios ou pequenos. “O consumidor já tem um referencial de paladar para cola e guaraná, por isso fica difícil concorrer com Coca-Cola e Ambev. Nos outros sabores isso não acontece, o que garante espaço para os demais fornecedores”, afirma. A venda dos sabores menos tradicionais ainda é pequena: juntos, cola e guaraná dominam cerca de 72% das vendas, segundo dados de 2009 da Associação Brasileira da Indústria de Refrigerantes. Excluindo as misturas de laranja e as versões limão e lima- limão, sobram menos de 10% do mercado para os demais sabores. Entre as grandes indústrias do setor, os sabores diferentes aparecem, principalmente, na forma de edições especiais, cada vez mais comuns. “A venda é pequena, mas essas inovações dão ao consumidor a percepção de que o segmento se renova”, afirma o presidente da consultoria Concept.

* SKU’s: Stock Keeping Unit, em português Unidade de Manutenção de Stock está ligado á logística de armazém e designa os diferentes itens de estoque.

Fonte: Supermercado Moderno

Empresas de Bebidas – Guias OESP

Siga-nos em nosso Twitter: @GuiasOESP

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.