Telecomunicações – Planos ilimitados

Guias Oesp

25 de abril de 2011 | 14h27

Empresas de telefonia mudam modelos de negócios para atender maior demanda por banda larga móvel

Banda Larga MóvelA forte demanda por banda larga móvel está mudando o modelo de negócio das empresas de telefonia na comercialização desse serviço. O executivo de uma operadora de telefonia móvel revelou que os planos ilimitados de banda larga 3G podem até continuar a existir, mas o consumidor pagará caro por eles. Isso porque, segundo ele, apensar da evolução das velocidades da banda larga móvel, ela não substitui a fixa. Assim, o sistema deve ser usado com complemento ao acesso convencional e quem necessita do serviço sem limite terá de arcar com um custo alto.

Uma das alternativas para a modelagem das ofertas, segundo esse executivo, é a cobrança por tempo de acesso, como a TIM já está fazendo. Algumas companhias escolheram vender pacotes com capacidade limitada de transferência de dados. Nesse tipo de cobrança por download, porém, é difícil para o usuário mensurar quanto de capacidade é despendida ao baixar determinado arquivo ou ao mandar um e-mail, por exemplo. Por isso, sustenta a fonte, a cobrança por tempo deve se firmar no mercado.

A demanda crescente da mobilidade da banda larga impõe também às empresas o desafio da qualidade, pois o serviço já figura entre os campeões de reclamações dos órgãos de defesa do consumidor. E a principal queixa é a velocidade, pois na maioria das vezes o usuário não tem garantia de atingir a faixa de megabits por segundo que lhe é vendida.

Até novembro do ano passado, o mercado brasileiro contabilizava 197,53 milhões de linhas móveis ativas, conforme levantamento da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). A banda larga móvel já representa 9,85% do total, ou seja, 19,45 milhões de acessos. O potencial de crescimento so serviço é tão grande que, a partir de dezembro do ano passado, a Anatel passou a divulgar os números por tipo de tecnologia, o que permitirá acompanhar de perto a evolução desse mercado de internet móvel. Como anunciado, a líder nesse segmento é a Claro, com 39,83%. Na sequência, figuram Vivo (32,10%), TIM (22,26%), Oi (5,47%), CTBC (0,33%) e Sercomtel (0,02%).

Veja matéria completa em nossa revista.

Revista Metal Mecânica e Eletroeletrônica – Edição 98 – Guias OESP

Empresas de Telecomunicações – Guias OESP

Siga-nos em nosso Twitter: @GuiasOESP

Mais conteúdo sobre:

3GAnatelBanda largaTelefonia