Coates: o Lugano melhorado?

No momento em que a defesa do São Paulo, setor mais eficiente da equipe nos últimos anos, passa por um desmanche, cresce a expectativa para a chegada do uruguaio Sebastián Coates

Redação Esportes

27 de maio de 2011 | 01h07

MORENO BASTOS

No momento em que a defesa do São Paulo, setor mais eficiente da equipe nos últimos anos, passa por um desmanche, cresce a expectativa para a chegada do uruguaio Sebastián Coates.

Com a saída antecipada de Alex Silva – somada ao adeus de Miranda, que no fim de junho vai para o Atlético de Madrid –, o jogador do Nacional, de 20 anos, tornou-se a aposta dos dirigentes tricolores para que a zaga volte a viver de glórias.

A expectativa faz sentido. Praticamente desconhecido do público brasileiro, ele foi indicado pelo compatriota Diego Lugano e é a principal promessa do futebol uruguaio, que vive ascensão depois do quarto lugar obtido na Copa do Mundo da África do Sul em 2010.

“É o melhor zagueiro do Uruguai. Melhor do que os que jogam na Europa também”, afirmou o jornalista Daniel Rosa, do jornal uruguaio El País.

Ele descreve as características de Coates. “Tem boa estatura e faz muitos gols de cabeça. Além disso, tem velocidade para os desarmes. Ele lê bem as jogadas e se antecipa aos atacantes tanto por cima, como por baixo.”

E o jornalista foi mais longe ao falar de “Luganito” – apelido do zagueiro em alusão ao ídolo são-paulino.

“Coates é melhor do que o Lugano. É um jogador que recebe poucos cartões e não faz faltas para parar os adversários.”

Fora da Copa América?

Mas todas essas qualidades não devem colocar Coates na convocação de Oscar Tabárez para a Copa América. O treinador pretende manter os zagueiros que disputaram a Copa na África: Lugano, Godín, Scotti e Victorino (que joga no Cruzeiro).

Para o jornalista uruguaio, a decisão de Tabárez é uma questão de respeito pelo elenco que fez história no último Mundial.

“Coates já atingiu um nível técnico superior ao dos outros. Vai à seleção após a Copa América.”

Assim como no Brasil, no Uruguai também se fala sobre a possível vinda de Coates para o Tricolor. A imprensa de lá confirma o acerto entre o empresário do jogador, Matias Pittini, e o São Paulo. O que falta é convencer o Nacional a reduzir o valor pedido para liberá-lo.

Segundo a imprensa uruguaia, o clube de Montevidéu pretende negociar Coates por US$ 5 milhões (R$ 8 milhões). A diretoria do São Paulo fez uma contraproposta um pouco abaixo desse valor para adquirir 80% dos direitos do beque, deixando 20% para o Nacional. Dessa forma o clube uruguaio poderia ganhar de novo se o atleta for negociado com o futebol europeu.

O vice-presidente são-paulino João Paulo de Jesus Lopes admitiu esta semana que a negociação está em curso, mas caminha a passos lentos porque o presidente do clube uruguaio estava viajando. O Tricolor contará com a ajuda de um investidor para bancar a contratação.

Confirmado o acerto, Coates será o 18º uruguaio na história do Tricolor.

Tudo o que sabemos sobre:

BrasileirãocoatesLuganoSão Paulo