Falta licença dos dutos em Itaquera

A prefeitura de São Paulo deu o sinal verde para as obras do Itaquerão, mas o desvio dos dutos da Petrobras que passam sob o terreno, onde ficará o estacionamento do futuro estádio, ainda aguarda a aprovação da Cetesb

Redação Esportes

25 de maio de 2011 | 23h30

PAULO FAVERO e VÍTOR MARQUES

A prefeitura de São Paulo deu o sinal verde para as obras do Itaquerão, mas o desvio dos dutos da Petrobras que passam sob o terreno, onde ficará o estacionamento do futuro estádio, ainda aguarda a aprovação da Cetesb. O órgão estadual está analisando a documentação enviada pela Transpetro e estima que em no máximo dez dias a licença ambiental será emitida.

O grande entrave está na diferença de preço da obra de desvio dos dutos, que ligam os municípios de São José dos Campos e São Caetano do Sul.

O duto Osvat 22 carrega produtos claros, como gasolina e querosene de aviação, enquanto o Osvat 24 transporta óleo combustível. Para o Corinthians, a obra custará cerca de R$ 3 milhões. Mas a Transpetro avisa que o preço estimado é, no mínimo, dez vezes maior: R$ 30 milhões.

Além disso, a empresa já avisou que não arcará com o desvio dos dutos para um terreno adjacente ao futuro estádio do Corinthians, que já foi cedido pela prefeitura, sem nenhum custo. A empresa entende que esta obra é responsabilidade dos empreendedores do projetos, ou seja, Corinthians e Odebrecht.

Assim, a discussão promete ser quente. A diretoria do Timão não imagina um preço tão alto para a obra de desvio dos dutos. Do seu lado, a Transpetro não tem interesse em mudar os dutos de lugar e só fará isso por causa da construção do Itaquerão.

Desde a última semana o clube vem discutindo o orçamento da arena e não quer ter de aumentar em R$ 27 milhões – a diferença na conta das duas partes – o orçamento final do estádio. Só que o Corinthians corre contra o relógio e não quer lidar com mais um problema financeiro no momento em que o estádio está para sair do papel.

A diretoria corintiana mantém argumentação de que a retirada dos dutos é algo muito simples e barato. Ela alega que os dutos passam debaixo de outras áreas próximas, como ruas e avenidas, e que isso nunca foi problema. E que os dutos não atrapalham o início das obras.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.