Pequena empresa tem o melhor abril desde 98

Com alta de 14,7% no faturamento em abril deste ano em comparação com o mesmo período de 2009, a crise ficou para trás para as companhias de menor porte

Redação

17 de junho de 2010 | 23h50

Luciele Velluto

A queda do faturamento ocorrido em 2009 já é passado para as micro e pequenas empresas. A Thornnox Usinagem, uma indústria de pequeno porte que fica na Vila Carioca, zona sul de São Paulo, passou de inativa no início do ano passado para um futura investidora. “A crise nos pegou de uma forma avassaladora. Tivemos que fechar as portas e demitir todos por não ter serviço para prestar. Um ano depois, a situação é completamente diferente. Estamos trabalhando a todo vapor e planejando contratar e investir em máquinas”, conta Sérgio Alberto Casasanta, sócio da Thornnox.

A empresa está dentro das estatísticas do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo (Sebrae-SP), que mostra um crescimento de 14,7% no faturamento das micro e pequenas empresas em abril deste ano na comparação com o mesmo período de 2009, o melhor resultado desde 1998, quando o levantamento começou a ser feito.

“Esse resultado ocorre porque temos uma base depreciada no ano passado, pois havia a crise, incertezas e restrição de crédito, e porque estamos em um ritmo bom de crescimento, puxado pelo consumo interno”, explica Pedro Gonçalves, consultor do Sebrae-SP.

A unidade da Planet Chokolat no bairro da Aclimação, zona sul da cidade, também percebeu a mundaça na clientela. “Temos percebido um leve crescimento de um ano para cá, cerca de 5% de aumento no nosso faturamento. Não é pouco para uma pequena empresa. E isso fica mais claro quando se trata de presentes, pois percebemos que as pessoas estão comprando mais chocolate para esse fim”, conta Douglas Arima, dono da loja de chocolates finos.

Clique para ouvir a a entrevista completa com o consulto do Sebrae-SP. consultor do Sebrae-SP