Kirchner: Argentina e Brasil preparam moeda única

Ex-presidente argentino disse nesta sexta-feira que os governos de Brasília e Buenos Aires trabalham "para gerar uma moeda única", cujo objetivo seria formar um mercado comum entre os países sul-americanos similar ao da União Europeia

Redação

25 de junho de 2010 | 19h42

O governo argentino está trabalhando com o brasileiro “para gerar uma moeda única” dos dois países sul-americanos, declarou nesta sexta-feira o ex-presidente da Argentina Néstor Kirchner, em um fórum de empresários.

A moeda única “está sendo discutida e analisada para agilizar o comércio” bilateral, disse Kirchner, sem dar mais detalhes, depois de esclarecer que é preciso “acentuar” uma série de medidas para pôr a iniciativa em prática. O ex-presidente argentino falou sobre o tema em um encontro com 400 empresários na cidade de Neuquén, na região central da Argentina.

Argentinos e brasileiros, parceiros de Paraguai e Uruguai no Mercosul, utilizam atualmente suas moedas nacionais nas trocas bilaterais em vez do dólar. A moeda única é um dos objetivos do Mercosul, que tem o objetivo de formar um mercado comum similar ao da União Europeia (UE).

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.