Com finanças em dia, viajar fica mais fácil

Em primeiro lugar, é importante que o turista organize sua vida financeira para a viagem não trazer mais transtornos logo no começo do ano, época de arcar com despesas como IPVA, IPTU, matrícula e material escolar

Redação

02 de outubro de 2011 | 23h30

GISELE TAMAMAR

A palavra-chave para quem quer viajar nas férias é planejamento. Quem pretende arrumar as malas para passar o Natal ou Ano Novo em outra cidade precisa se apressar. Em primeiro lugar, é importante organizar a vida financeira para a viagem não trazer mais transtornos logo no começo do ano, época de arcar com despesas como IPVA, IPTU, matrícula e material escolar.

O educador financeiro e presidente do Instituto Dsop, Reinaldo Domingos, alerta que o consumidor precisa saber qual a sua situação financeira antes de decidir viajar. É preciso fazer um diagnóstico das contas para saber onde está indo cada centavo do dinheiro e assim, descobrir onde economizar. “Toda família tem excessos e supérfluos. É preciso identificá-los. E justamente esses gastos podem tornar viável a viagem de férias”, conta Domingos.

Bom exemplo: o casal Eder e Fabiana durante a última viagem na Rússia (Foto: ARQUIVO PESSOAL)

Caso o diagnóstico aponte problemas, o consumidor deve adiar os planos até conseguir se organizar. Já em caso de avaliação positiva, o esforço deve incluir a poupança de uma certa quantia para pagar a viagem e os gastos com hospedagem, passeios, alimentação e compras.

Quanto mais cedo o turista planejar o passeio, mais faixas de preços de pacotes, passagens aéreas e categorias de hotéis terá para escolher. “A viagem é um momento de prazer, de despreocupação. Você vai querer fazer passeios, comer em restaurantes e tudo isso exige uma verba que precisa estar prevista no planejamento”, afirma o planejador financeiro e palestrante da Expo Money, Augusto Saboia.

Poupança
A poupança é a modalidade mais recomendada para quem quer investir no curto prazo. Ela rende 0,5% ao mês mais taxa referencial (TR). Também é isenta do pagamento do Imposto de Renda e ideal para quem quer ter o dinheiro sempre a mão.

A recomendação de Saboia é fazer uma poupança específica para a viagem. “O investidor precisa visualizar a quantia para fazer o esforço para alcançar o valor estipulado. E quem vai viajar na alta temporada precisa estar ciente que vai gastar mais”, afirma.

Outra recomendação do coordenador de finanças pessoais do Ibmec, Roberto Zentgraf, é fazer o roteiro de viagem com antecedência. “O tempo que você perde caso se planeje apenas no dia do passeio custa dinheiro”, destaca.

Por isso, é importante verificar preços de entradas de museus, custo de passeios, se vai alugar carro, pegar ônibus ou táxi, se comprar bilhetes com antecedência ou em maior quantidade garante desconto e até mesmo fazer reservas em restaurantes. “Pesquisar sempre vale a pena para não pagar mais pelo mesmo serviço”, completa Zentgraf.

Com grande experiência em viagens, o casal de engenheiros Eder Rezende, de 38 anos, e Fabiana Guímaro, 30 anos, é um bom exemplo de que o planejamento dá certo. Eles têm uma meta de viajar pelo menos uma vez por ano. E para viabilizar o objetivo, uma parte do salário é reservada todo mês e direcionada para um fundo DI.

Assim, com economia e planejamento, eles fizeram uma viagem de volta ao mundo entre 2008 e 2009 e visitaram 37 países. Isso depois de nove meses de preparação. Em julho, o destino foi a Rússia e Uzbequistão.

No ano que vem, o casal deve visitar a Europa, junto com a filha, que vai nascer em novembro. “Quando terminamos uma viagem já começamos a planejar a outra e a guardar dinheiro”, conta Rezende, que mantém um blog de viagens (quatrocantosdomundo.wordpress.com) junto com Fabiana e um casal de amigos.