Governo baixa imposto de fogão, geladeira e lavadora

Linha branca teve IPI reduzido ontem. Varejo já anuncia diminuição de até 20% nos preços. Corte na tributação inclui também massas, como macarrão, e operações de crédito. Objetivo é impulsionar o consumo e reaquecer a economia

danielsilva

01 de dezembro de 2011 | 22h51

CAMILA BEZERRA E LUCIELE VELLUTO

O consumidor que for comprar eletrodomésticos hoje irá encontrar produtos de linha branca com preços até 20% menores. Isso porque fogões, refrigeradores, e máquinas de lavar roupa tiveram o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) reduzidos ontem pelo governo. O corte na tributação vai, em geral, de 4 a 10 pontos porcentuais, mas no caso dos tanquinhos, a alíquota foi zerada.

A medida faz parte de um pacote para estimular o consumo neste final de ano e reaquecer a economia. “O governo resolveu tomar medidas de efeito direto para aquecer a economia, mais do que a redução da taxa básica de juros, a Selic, na quarta-feira. É uma preocupação com a crise econômica internacional, que poderá gerar recessão econômica em 2012”, explica José Roberto Savoia, professor do Laboratório de Finanças da Fundação Instituto de Administração (FIA).

A redução do IPI para linha branca começou a valer ontem e será mantida até março de 2012.
Algumas redes de varejo com lojas físicas – como Casas Bahia, Ponto Frio e Carrefour – prometem repassar integralmente o corte do imposto a partir de hoje. “Isso não quer dizer que a redução total chegará ao consumidor, pois em cima do custo do produto na indústria, no qual é colocado o IPI, ainda há os custos do varejista”, explica Otto Nogami, professor de economia do Insper.

A previsão é que para os itens que tiveram corte de 10 pontos porcentuais na alíquota, casos de máquinas de lavar roupa automática e semiautomática e refrigeradores, a queda de preço ao consumidor seja de 8% a 9%. Para o fogão, cujo IPI caiu de 4% para zero, o repasse deverá ficar em 3,8%.

Porém, no final da tarde de ontem, sites de redes varejistas já anunciavam produtos com imposto menor e redução de até 20% nos preços como Walmart, Magazine Luiza, Americanas.com., Extra.com e Pontofrio.com também já vendiam itens com desconto.

Nas lojas físicas, a promessa é de repasse acima da nova tabela de IPI anunciada. O Extra, por exemplo, afirma que a partir de hoje os consumidores encontrarão mercadorias com até 18% de desconto, como é o caso de uma máquina de lavar roupa de 9kg, que passou de R$ 1.099 para R$ 899. A expectativa da rede de supermercados é que a medida repercuta positivamente nas vendas de dezembro.Em 2009, quando a União reduziu o IPI da linha branca, o Extra vendeu, em média, 30% mais produtos contemplados com o desconto tributário.

O pacote também chega até o prato dos brasileiros: o PIS/Cofins das massas alimentícias – como o macarrão – caiu de 9,25% para zero. Já o trigo, a farinha e o pão francês ganharam isenção extra por mais um ano.

Outra ação adotada pelo governo foi a redução da alíquota de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) de 3% para 2,5% ao ano para o crédito para pessoa física. Segundo Miguel de Oliveira, vice-presidente da Associação Nacional dos Executivos de Finanças Administração e Contabilidade (Anefac), para um produto que custa R$ 1,5 mil parcelado em 12 vezes, a economia com a redução do IOF será de R$ 11 no total, por exemplo. “É pequeno o efeito do corte, mas junto com a redução da taxa básica de juros, a expectativa é que os financiamentos fiquem mais baratos”, diz.

Os consumidores já estão de olho nos descontos. A aposentada Nair Ricardo dos Santos, de 79 anos, foi ontem mesmo conferir os preços dos fogões. “Marquei o valor e vou esperar, pois sei que o preço vai baixar. E em janeiro a gente sabe que o preço cai bastante, então vou esperar.”