Redução do IOF tem impacto pequeno

Na compra de um refrigerador no valor de R$ 1,5 mil, por exemplo, com a redução do IOF de 2,5% para 1,5%, o valor total com juros sai por R$ 2.589,12 ou 24 parcelas de R$ 107,88. A economia por prestação do financiamento é de R$ 1,06 e no total, de R$25,44.

danielsilva

22 de maio de 2012 | 23h15

Simulação realizada pelo vice-presidente da Associação Nacional dos Executivos de Finanças Administração e Contabilidade (Anefac), Miguel de Oliveira, mostra que a redução do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) anunciada anteontem pelo governo terá pouco impacto nas parcelas dos financiamentos de produtos em geral para a pessoa física.

Na compra de um refrigerador no valor de R$ 1,5 mil, por exemplo, com taxa de 4,77% ao mês e parcelamento de 24 meses, o consumidor pagava R$ 2.614,56 no total ou 24 mensais de R$ 108,94. Com a redução do IOF de 2,5% para 1,5%, o mesmo refrigerador, com idênticas condições de crédito, passará a custar R$ 2.589,12 no total ou 24 parcelas de R$ 107,88. A economia por prestação do financiamento é de R$ 1,06 e no total, de R$25,44.

“É uma medida importante já que o governo quer estimular o consumo e reduzir juros e custos de financiamento, mas de pequeno impacto na prestação”, diz Oliveira. A medida não tem prazo para expirar, mas deve custar aos cofres públicos R$ 900 milhões nos próximos três meses.