Pedaladas culturais pela cidade

Quinze bicicletários foram instalados em diferentes pontos da capital para atender ao público que decidir participar da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo usando como meio de transporte as bikes

Redação

27 de outubro de 2010 | 12h02

Felipe Branco Cruz

Durante o período da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, é comum uma pessoa sair de uma sala de exibição em direção a outra para pegar a sessão que começará logo em seguida. Acontece, frequentemente, de não dar tempo. Seja porque o trânsito não colaborou ou porque não havia vagas disponíveis para estacionar. Em muitos casos, a sala de cinema está a pouco mais de 1 km. Perto o suficiente para ir a pé, mas longe o bastante para não chegar a tempo. Qual a melhor solução? Ir de bicicleta.

As salas do Cinesesc Augusta e do Espaço Unibanco são o exemplo perfeito. Ambas ficam na Rua Augusta, cada uma de um lado diferente da Av. Paulista. Quem caminhar de uma sala em direção à outra, vai encarar uma bela ladeira e, provavelmente, chegará cansado ao cinema. Para evitar isso, em ambas as salas foram instalados bicicletários patrocinados pela Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo). Quem tiver sua bike pode ir de um ponto ao outro pedalando e estacioná-la no bicicletário ou pegar uma emprestada com a patrocinadora.

A reportagem do JT foi testar a novidade e escolheu, de propósito, um dos piores horários para andar de bicicleta: 14h. O sol estava quente e o trânsito intenso. O risco de o nosso repórter sofrer um acidente era grande. O problema é que São Paulo não é uma cidade apropriada para se andar de bike. O passeio começou no Cinesesc Augusta, passou pelo Masp e terminou no Espaço Unibanco, também na Augusta. E subir a Augusta, uma rua de mão dupla, com caminhões e ônibus, não foi um tarefa fácil. Finalmente na Av. Paulista, nosso repórter seguiu até o Masp, onde está instalado outro bicicletário, e depois retornou para descer novamente a Augusta, dessa vez para devolver a bike.

Boa alternativa
Dessa experiência, foi possível tirar algumas conclusões. É perigoso fazer um trajeto como esse. Pegar uma bicicleta emprestada, no entanto, é um alternativa saudável e ecologicamente correta para participar da Mostra. Há vários ciclistas em São Paulo. No momento da reportagem, aproximadamente 10 pessoas cruzavam a Augusta e a Paulista em suas bikes – e elas não estavam indo para o cinema, e sim apenas usando a bicicleta como transporte.

Quem utilizou a bike para ir ao cinema foi o engenheiro Renato de Barros Panzoldo, 45 anos. Ele mora em Pinheiros e, em 15 minutos, já estava no Cinesesc Augusta, onde estacionou sua bicicleta, que custa cerca de R$1,5 mil. “É mais seguro deixar no bicicletário. Há 6 anos, uso a bike como meio de transporte”, conta. “Quando a deixo estacionada na rua, fico com medo de alguém roubar, como aconteceu há alguns meses”. Depois do Cinesesc, o engenheiro voltaria para Pinheiros, onde assistiria a um filme em outro local.

Ao todo, foram instalados 15 bicicletários em diferentes pontos da cidade. Gesner Oliveira, presidente da Sabesp, concorda que São Paulo não é uma cidade perfeita para ciclistas, mas que há projetos para criar ciclovias na capital. “Essa ideia da Mostra é ótima para chamar a atenção à questão do transporte sustentável”, diz.

Como Alugar?

São 15 pontos de bicicletários patrocinados pela Sabesp e pela ONG Parada Vital

Para participar, é necessário se cadastrar e apresentar um cartão de crédito com saldo disponível de R$ 350. O valor só será debitado no cartão de crédito do ciclista caso ele não devolva a bicicleta em algum dos bicicletários cadastrados para a Mostra

A primeira hora é livre e as demais custam R$ 10. Os ciclistas que quiserem participar da Mostra com suas próprias bicicletas também poderão estacioná-las gratuitamente nos bicicletários pelo período de exibição dos filmes

Para cadastramento, os usuários devem apresentar um documento com foto e um comprovante de residência ou de estadia (no caso de estrangeiros, hóspedes em hotéis)

Quem possui credencial da Mostra não terá necessidade de apresentar cartão com saldo, bastando mostrar um documento com foto

Quem não possui cartão de crédito, pode usar, ainda, o cadastro alternativo e comprar o Cartão Ciclista-Mostra, pagando R$ 15 antecipadamente e valerá para os bicicletários credenciados durante todo o período da Mostra. Os pontos de cadastramento para o Cartão Ciclista ficarão no Conjunto Nacional e no Frei Caneca Artplex

Os bicicletários foram criados apenas para os cinemas participantes da Mostra e não terão integração com os bicicletários do Metrô/EMTU

Endereços e horários de funcionamento de cada bicicletário:

Centro Cultural SP – R. Vergueiro, 1.000, Liberdade. De ter. a dom., das 15h às 20h

Cine Olido – Av. São João, 473. Centro. De ter. a dom., das 14h às 19h30

Cine Sabesp – R. Fradique Coutinho, 361, Pinheiros. De seg. a dom., das 13h às 22h

Cinemateca – Largo Senador Raul Cardoso, 207, V. Clementino. De seg. a dom., das 13h às 21h

Cinesesc – Rua Augusta, 2.075, Jd. Paulista. De seg. a dom., das 13h às 22h

Espaço Unibanco – Rua Augusta, 1.475, Cerqueira César. De seg. a dom., das 13h às 22h

Faap – Rua Alagoas, 903, Higienópolis. De seg. a sex., das 10h às 19h

Matilha Cultural – R. Rego Freitas, 542, Centro. De ter. a dom., das 13h às 21h

MIS – Av. Europa, 158, Jd. Europa. De ter a dom, das 13h às 20h

Vão Livre do Masp – Av. Paulista, 1.578, Cerqueira César. De seg. a sex., das 18h às 21h30

Cine Livraria Cultura – Rua Padre João Manuel, 60, Cerqueira César. De seg. a sex., das 13h às 22h e sáb. e dom., das 11h às 22h

Unibanco Arteplex – Rua Frei Caneca, 569, Bela Vista. De seg. a dom., das 11h às 22h

Unibanco Pompeia – Rua Turiaçu, 2.100, Pompeia. De seg. a dom., das 13h às 22h

Belas Artes – Rua da Consolação, 2423, Cerqueira César. De seg. a dom., das 13h às 22h

Reserva Cultural – Av. Paulista, 900, Cerqueira César. De seg a dom., das 11h às 22h

Tudo o que sabemos sobre:

bicicletabicicletáriomostra

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.