Jornal da Tarde: a primeira bebê de proveta brasileira

Jornal da Tarde: a primeira bebê de proveta brasileira

Edmundo Leite

22 de outubro de 2021 | 15h22

Menina nascida em São José dos Pinhais, no Paraná, em 1984, foi um marco da fertilização in vitro

O nascimento da primeira criança gerada por fecundação artificial no Brasil foi o destaque da edição de 12 de outubro de 1994 do Jornal da Tarde. Com uma grande foto da sorridente mãe Ilsa com a filha Ana Paula, um título aplicado dentro da imagem anunciava a novidade: “Eis o nosso bebê de proveta”.

Ana Paula Caldeira nasceu no dia 7 de outubro de 1984, de parto cesariana com 3,35 quilos, filha do casal Ilsa Maria Caldeira e José Antonio Caldeira. A apresentação da bebê à imprensa só aconteceu quatro dias depois, com uma multidão de jornalistas presentes para registrar o acontecimento, hoje corriqueiro.

Desde 1978, quando foi anunciado o nascimento da primeira criança gerada por fecundação artificial no mundo, o termo “bebê de proveta” se popularizou. Aqui no Brasil virou até marchinha de carnaval cantada por Silvio Santos. Proveta é o nome do tubo de vidro usado em laboratórios para medir quantidade de substâncias líquidas. Com a incorporação da nova técnica à rotina médica gestacional e obstétrica, o termo bebê de proveta foi abandonado e fertilização in vitro passou a ser usado corriqueiramente.

Acervo Estadão | acesse todas edições desde 1875

Tudo o que sabemos sobre:

inseminação artificial

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.