Ataques dos afogados

A campanha política vai ficando vil

carloseduardogoncalves

03 Setembro 2014 | 09h35

Quando eu era menino, meu amigo Batata dizia-me sempre antes que entrasse no mar: “cuidado, mar não tem cabelo, não há onde se segurar quando a situação se complica!”.

Um dia quase morri afogado na praia da Barra e, de fato, tentei por uns minutos desesperadamente me agarrar aos invisíveis cabelos do mar, esquecendo da inerente calvície dos oceanos. Safei-me por sorte, com auxílio de uma onda.

Quem está prestes a se afogar, se desespera, começa a se bater e aí afunda mais rápido ainda.

Exatamente como ocorre agora com o governo Dilma, que tenta desesperadamente desestabilizar a candidatura Marina com ataques de baixo nível. Comparar Marina à aventura que foi Collor! Justo esse governo que tem Collor como aliado. É ou não é o maior dos oximoros? Baixeza, vileza, e outras “ezas”. E na Economia, o comentário do Ministro Mantega foi também uma proeza. Ele disse que se o Brasil elevar o superávit primário — como consta no documento de governo de Marina — o crescimento econômico poderá sofrer muito. Será? Bem, é verdade que ele, Mantega, tratou de reduzir veementemente o superávit primário, além de solapar a credibilidade das instituições fiscais. E o que ocorreu com a Economia? Ela estagnou totalmente, e tem apresentado inclusive crescimento negativo nos últimos trimestres! E, mais importante, na média dos quatro anos de seu mandato, o crescimento “Dilma-Mantegal” terá sido de uns pífios 1,5% , enquanto o dos países em desenvolvimento, similares ao Brasil, terá sido perto de 3,5%.

Dilma, Mantega, ouçam o ensinamento do Batata:”mar não tem cabelo” !