Coisas da vida

carloseduardogoncalves

11 Dezembro 2015 | 16h56

Joao, eu preciso falar isso com alguem, mas voce nao atende o telephone (desisti de lutar contra o corrector automatic), caramba.

Aquelas doideiras, sabe. Elas ficam me acompanhando, zunindo. Alguem precisa me dizer algo sobre isso, sobre elas. Escolhi voce.

Joao, antes disso, voce leu “Austerlitz”? Nossa Joao, entao compre, o Sebald para mim eh o melhor escritor do fim do seculo passado. Fecha parenthesis.

Mas a pergunta era a seguinte: nao te causa estranheza que mesmo com a vida durando tao pouquinho, a maioria de nos tenha incentivos suficientes para seguir na luta diaria, quase sempre, infatigaveis? Como disse a Esther, personagem da Sylvia Plath, para que viver se logo vai acabar? Nao eh muito duro pensar nisso?

Por outro lado, e eh aqui que eu queria chegar, meu caro e paciente amigo, como nao pensar? Como?