Selfies

Os revoltantes selfies

carloseduardogoncalves

18 de outubro de 2014 | 15h45

Selfies me entristecem brutalmente.

Sei que me exponho perigosamente dizendo isso, mas não há nada mais egocêntrico que essas fotos ridículas tiradas de si para si, às vezes com algum presidenciável ao lado; exercício de narcisismo máximo. É o paroxismo da lamentável tendência de exaltação do eu, nesse caso um “eu” ralinho, sem conteúdo, metido numa careta-sorriso abobalhada. Ao menos é esse meu julgamento, severo mas sincero. Não quero impor minha vontade de extermínio completo dos selfies à sociedade, mas gostaria imensamente que as pessoas largassem mão voluntariamente de tamanha demonstração de autocentrismo, que se interessassem por outras coisas, um filme, um livro, um namoro, um passeio, qualquer coisa menos egoísta, qualquer experiência minimamente mais rica do que uma foto de si mesmo sem pé nem cabeça.