Ana Salazar: verão negro, com jeito de improviso

A portuguesa Ana Salazar fez sua estreia na SPFW com uma coleção cheia de pretinhos nada básicos: com muitos recortes e peças intencionalmente deixadas pela metade

Estadão

12 de junho de 2010 | 20h05

Caline Migliato

A portuguesa Ana Salazar fez sua estreia na SPFW com uma coleção essencialmente negra de vestidinhos curtos e, no final da performance, alguns longos. A estilista abusou de desconstruções, como casacos pela metade, blusas do tipo tomara-que-caia e jaquetas com as costas completamente abertas, além de saias inacabadas

Para os detalhes, muita assimetria, recortes, sobreposições de cores e tecidos, além de cintos marcando a linha da cintura, fechos metálicos e transparências. Pedaços de golas, mangas e coletes foram usados como adornos, num verdadeiro clima de improviso fashion. Os tecidos escolhidos foram: nylon, tule, renda lacado, sedas estampadas, cetins e piquê. Para as cores, além da predominância do preto, entraram branco, amarelo-cítrico, cinzas metalizados, verde-água e estampas em verde-bambu e rosa-antigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.