Mistérios femininos na passarela de Huis Clos

Estadão

31 de janeiro de 2011 | 16h07

Máscaras com brilhos e penas marcaram o desfile da Huis Clos (Foto: Tiago Queiroz/AE)

Mascarada, modelo Daiane Conterato desfila para Huis Clos (Foto: Tiago Queiroz/AE)

Filipe Fasolin

O quarto dia de São Paulo Fashion Week começou com o desfile da marca Huis Clos. A inspiração inicial da estilista Sara Kawasaki foram os segredos e mistérios do universo feminino. O acessório que deixou isso claro foram as máscaras de penas, usadas por quase todas as modelos na passarela da estilista.

O início do show teve uma pegada mais esporte, com jaquetas largas. Logo em seguida, uma tendência mais elegante tomou conta e o volume das peças, às vezes curtas, se concentrou no tronco. O pelo sintético e o brilho disputaram a maioria dos looks, ora juntos, ora separados, lisos ou mesmo quadriculados.

Os tons cinza e marinho dominaram a passarela, que trouxe algumas cores como o verde, mas discretos apesar do brilho. Mangas bufantes e franzidas, luvas, transparências, algumas listras e calças de todos os tipos. Algumas retas, outras saia e até com uma cara de montaria apareceram. Entre os tecidos: rendas, lãs, pelo sintético, malhas de lã, jacquard xadrez em lã, nylon, malha lamê, lurex.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.