Ronaldo Fraga se rende à arte de Athos Bulcão

Estadão

31 de janeiro de 2011 | 19h28

Fraga se inspirou nas pinturas, gravuras e fotomontagens do artista modernista e azulejista Athos Bulcão (Foto: Tiago Queiroz/AE)

Fraga se inspirou nas pinturas, gravuras e fotomontagens do artista modernista e azulejista Athos Bulcão (Foto: Tiago Queiroz/AE)

Caline Migliato

Uma inspiração nacional, uma mensagem bem definida e desfiles belíssimos. O estilista Ronaldo Fraga mais uma vez emocionou a plateia que minutos antes das modelos entrarem na passarela ainda estava tumultuada por causa da presença de Marina Silva na Bienal.

O estilista foi buscar inspiração nas pinturas, máscaras, gravuras e fotomontagens do artista modernista e azulejista Athos Bulcão. Um dos poucos a investir em cenografias diferenciadas, Fraga é o exemplo perfeito de desfile conceitual que sempre passa uma mensagem muito clara.

A coleção trouxe vestidos soltos e curtos com franjas retangulares largas com números impressos, e outras quadradas com desenhos recortados a laser; as blusas vieram ora sem mangas ora com mangas bufantes acompanhadas de saias amplas na altura dos joelhos ou calças mais soltinhas; tops curtos com saia longa e vestidos longos. As blusas vieram com golas importantes, estilo chaminé com sobra de tecido. Os casacos 7/8 continuam em alta nesta temporada.

Na paleta de cores estão o branco, cinza, preto, violeta, laranja, azul escuro, branco, cobre e verde-água. Os tecidos vieram com muita textura, transparências e paetês, que também seguem com força.

Muitas estampas com desenhos inspirados nas obras de Athos, além de geométricas como quadrados, quadriculados, retângulos e triângulos deram graça às peças. Nos pés, ankle boots completam os looks.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.