Adalgisa, Garrincha e o ‘jeitinho’ brasileiro

Daniel Fernandes

22 de março de 2011 | 09h38

Daniel Fernandes

Adalgisa Colombo foi coroada Miss Brasil em concurso realizado em 1958. Ela representava o então Distrito Federal, que ficava no Rio de Janeiro.

No mesmo ano, o Brasil ganharia sua primeira Copa do Mundo. Pelos pés de Pelé, é claro. Mas também porque lá no ataque, pela ponta direita, tinha um gênio de pernas tortas. Um tal de Garrincha.

Adalgisa foi a Long Beach, Califórnia, para representar o Brasil no Miss Universo.

Garrincha foi a Suécia, para representar o Brasil na Copa do Mundo de futebol.

Lá pelas tantas do concurso realizado nos Estados Unidos, as moças deveriam desfilar em trajes de praia. E as concorrentes de Adalgisa colocavam maquiagem disso, maquiagem daquilo. Óculos de sol, gigantes, como era moda lá no exterior. E peruca. E chapéus enormes.

Adalgisa colocou um maiô. E nada mais. Tá, ela passou óleo Johnson & Johnson. Aquele transparente. A única proteção contra os raios solares então conhecida. Causou surpresa entre os organizadores. Você vai desfilar assim? Vou! É assim que nós brasileiras vamos a praia. Não com chapelão ou óculos. Simplesmente com maiô.

Não queria deixar Adalgisa entrar para desfilar. Mas não a seguraram. As mãos da proibição escapuliram de seus braços delicados por conta do óleo Johnson & Johnson.

Entrou na passarela. E foi um desbunde. Todo mundo adorou o jeito brasileiro. Ela ficou em segundo lugar no concurso. Mas isso é outra história. Teve recepção de rainha quando voltou ao Rio de Janeiro.

Na Suécia, Garrinha causou furor semelhante. Ia de lá para cá, de cá para lá, de lá para cá….sem tocar a bola. Foi o nome daquela Copa do Mundo. Ajudou o Brasil a ser campeão pela primeira vez. Pela primeira vez!!!!! Campeões do Mundo!!!!! Mostrou ao mundo o jeito do brasileiro jogar futebol. Que era diferente do italiano, alemão, francês, sueco…

O nosso jeito.

Esquecemos que somos brasileiros na nossa rotina. E isso é uma pena.

P.S.: Esqueci de colocar o principal neste post quando o produzi, nas primeiras horas do dia, ainda de madrugada. Obrigado Alvaro Guillermo por inspirar esse post.