Eu, Nick Hornby e 276 discos que custaram R$ 6,9 mil

Daniel Fernandes

14 de junho de 2010 | 09h00

Outro dia, fiz a pergunta sem querer para dois amigos: vocês já se deram conta de quanto dinheiro já gastamos comprando discos. Perguntei para provocar, é óbvio. Sei que eles têm centenas (centenas só?) de discos e cds em casa e, também sei, eles preferem não falar muito nisso. Ou não encaram a coisa toda como simplesmente gastar dinheiro.

Eles têm razão. Comprar discos – cds, mp3, enfim, comprar música – é mais do que gastar dinheiro. No meu caso, serve até como terapia. E preciso dizer que continuo gastando dinheiro com cds, apesar do olhar de reprovação dos moleques que me observam na megastore mais próxima de casa (não há mais lojas especializadas infelizmente). Eles devem pensar: “Esse cara está louco!!! Porque não faz como nós, encontra os lançamentos na loja e baixa da internet de graça!!!”

Mas a verdade é que tem muita coisa bacana para comprar. Ainda. Por exemplo, recentemente comprei uma reedição do Are You Experienced?, clássico do Jimi Hendrix, remasterizado e com um DVD de bônus. Uns dias antes, tinha adquirido outro clássico, também com DVD de bônus, do The Clash. A edição especial de 30 anos do London Calling.

Ontem, resolvi reorganizar minha coleção de discos em casa pela 15ª vez no ano. Tenho dois quartos no meu apartamento e em um deles há discos, discos e mais discos espalhados. A sala de música, como eu pretendia montar desde que me mudei, tem apenas uma intrusa: uma enorme televisão.

Para mim serve de terapia reorganizar minha coleção e sempre lembro do personagem principal do livro Alta Fidelidade, do inglês Nick Hornby. Ele passa boa parte do filme organizando seus discos. Mas enquanto colocava tudo em ordem alfabética – mas já foi ordem cronológica, ordem de preferência, etc – não deixei de pensar no quanto já gastei com isso.

Bem, se os discos valessem hoje o que valiam na época da compra, e levando em conta que cada CD custasse, em média, R$ 25, já gastei ao longo da minha vida R$ 6,9 mil na compra de 276 discos. Isso sem falar no que eu tenho no Ipod, o que eleva o número de discos para 333 e o número de músicas chega a 4,6 mil.

Se você acha que eu já gastei muito, faça um cálculo rápido: quanto seria a conta do psicólogo durante os mesmos bons anos que eu gastei acumulando tantos discos? Acho que seria um pouco mais…..

Trilha sonora (aleatório do Ipod durante a arrumação deste domingo):

Octopu´s Garden – The Beatles
Violet Hill – Coldplay
Bring On The Dancing Horses – Echo & The Bunnymen
Chão – Skank
O Mundo Anda Tão Complicado – Legião Urbana
Blew – Nirvana
Envelhecer – Arnaldo Antunes
The Killing Moon – Echo & The Bunnymen
Lukin – Pearl Jam
(Let Me Be Your) Teddy Bear – Elvis Presley
Ivan Meets The G.I. Joe – The Clash
Three Cool Cats – The Beatles
Gonna Get Alone Without You Now – She & Him
Meninos e Meninas – Legião Urbana
You´ve Got To Hide Your Love Away – The Beatles
(I´ll Never Be) Your Maggie May – Suzanne Vega
Perfect Circle – R.E.M.
Strawberry Fields Forever – The Beatles
Loboob Oscillator – Stereolab
Melissa – Ira!
Que País É Esse – Legião Urbana
Nome Aos Bois – Titãs
Life It Self – Bruce Springsteen
Severed Hand – Pearl Jam
Everything Is Everything – Lauryn Hill
Eu Vou Vivendo – Autoramas

altafidelidade