Me desculpe Wayne Rooney

Daniel Fernandes

07 de junho de 2010 | 09h02

Daniel Fernandes

Vocês já viram a camisa número 2 da Inglaterra para a Copa do Mundo? É muito bacana, muito bacana mesmo! Ela tem um ar retrô: toda vermelha, tem detalhes brancos nas mangas, o escudo bordado em relevo com uma estrela – a que simboliza a conquista na Copa de 1966 – logo acima. E nada mais. É simples e linda!

Decidi comprar a camisa neste fim de semana. E isso inclui, até, enfrentar a multidão que em finais de semana de temperatura mais amena em São Paulo superlotam as dependências de qualquer shopping da cidade. Entrei na loja e, claro, fui vasculhar as araras de camisas das seleções que disputam a Copa do Mundo. Olha, olha, olha e nada. Quer dizer, até achei o modelo, mas nos tamanhos pequeno e médio. Sem chance!

“Pergunta logo se tem o seu tamanho”, determinou a minha namorada com a impaciência típica de quem tem razão sobre o que está dizendo. Mas para nós, homens, é difícil entrar na loja e tratar o vendedor como seu melhor amigo. Mas essa é outra história, de qualquer forma.

– Você tem a camisa da Inglaterra em tamanhos maiores? – perguntei.

– Tenho!

– Traz o maior que você tiver.

Ele demorou uns cinco minutos, mas apareceu com a camisa (que para quem quiser saber é tamanho 46). Experimentei e renovei minha certeza em adquirir o produto. Sai do provador e perguntei a ele o preço: R$ 189,90.

REFORÇANDO: 189,90.

Pensei no álbum de figurinhas, em como se vive hoje sem saber o que vai acontecer amanhã, na diferença entre homens e meninos….

Mas pensei na compra do supermercado que eu precisava fazer. E desisti da compra. Entreguei a camisa de volta para o vendedor e deixei a loja rapidamente.

No domingo, fui ao supermercado. E como é delicioso se perder, pela 15ª vez, nos 3.218 corredores do estabelecimento sem encontrar  a tal da Cândida que a empregada pediu para eu comprar. Depois de achar o produto, saí pelo supermercado catando rapidamente os itens que mais preciso: chocolate, pão, frios, água, suco, sopa de pacote, macarrão, mais macarrão, mais chocolate, etc.

No caixa, na hora de pagar, tive de pedir desculpas a Wayne Rooney, abrir a carteira, e desembolsar R$ 142,20. Animada, a moça ainda me informou: “o senhor economizou R$ 1,29.”

Ah bom!!!!!!!!!!!

Quantos pacotinhos de figurinha eu consigo comprar com esse valor, mesmo?

Nova camisa: objeto de desejo!

Nova camisa: objeto de desejo!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.