É só um pedido de desculpas

Daniel Fernandes

25 de março de 2011 | 12h51

O que você faz quando esquece o aniversário do seu pai? E você se dá bem com seu pai, claro. E a coisa fica martelando na sua cabeça. Martelando, martelando…………………

Ah, mas tinha tanta coisa no jornal nesta semana!!!

Ah, mas tinha tanta coisa na pós-graduação nesta semana!!!

Ah, tem a insônia. Não dormir tira você dos eixos!!!!

Tinha que comprar passagem para Curitiba. Tinha que comprar o presente de casamento. E o ingresso para o Black Sabath. Tudo isso. Em uma semana. Ah, e ainda teve o aviso da multa de trânsito (obrigado Kassab).

Tudo isso junto, né. Acho que são boas explicações para o esquecimento.

NADA DISSO.

Você só está se enganando. Eu só estou me enganando.

Esqueci o aniversário dele.

O cara que me levou no estádio durante séculos. Encarava o Morumbi frio, lotado, vazio, tudo isso sem necessariamente gostar daquilo tudo. Eu gostava mais do que ele, acho eu. Sei lá.

Ele me deu a primeira bola, a primeira camisa do São Paulo também. Não me ensinou a dirigir, mas pagou a auto escola para eu tirar carta logo aos 18 anos. E me deu um carro. Cara, ele deu um carro na mão de um moleque de 18 anos. E como eu gostava daquele Chevette verde!!!!!!

Sou como sou hoje e conquistei o que conquistei por causa dele. Pra ele. Pra retribuir a ele.

É piegas esse texto, verdade. Mas todos os textos de amor são.

E eu esqueci o dia do aniversário dele. Dele. Do cara que compra o Jornal da Tarde só porque eu trabalho aqui.

Não há presente que compense essa falha.

Eu esqueci o aniversário dele, que foi ontem. Dia 24 de março.

Quantos mais eu terei de esquecer?