Açúcar tem que cair para Brasil produzir mais etanol--Czarnikow

PUBLICIDADE

Por Redação
1 min de leitura

Os preços do açúcar precisam cair ainda mais para que o Brasil, principal produtor de cana, opte por uma maior produção de etanol, o que poderia ajudar a criar um piso para a cotação da commodity, disse a comercializadora Czarnikow na terça-feira. Os futuros do açúcar bruto na ICE caíram cerca de 15 por cento desde o início do ano para cerca de 20 centavos de dólar por libra-peso, como um segundo grande excedente mundial consecutivo esperado em 2012/13 pesando sobre os preços. A Czarnikow disse que, com um equilíbrio do preço do etanol hidratado com o do açúcar em cerca de 17 centavos de dólar por libra-peso, os preços do açúcar poderiam cair mais ainda. "Os preços do açúcar estão em torno de 20 centavos de dólar, mas o mercado ainda tem que encontrar níveis que incentivem a maior demanda por etanol", disse Peter de Klerk, analista da Czarnikow. Milhões de carros flex-fuel no Brasil, lançados cerca de uma década atrás, podem ser abastecidos com gasolina, etanol ou a mistura dos dois. A trading disse que o plano do governo brasileiro para aumentar a quantidade necessária de etanol misturado à gasolina para 25 por cento no próximo ano, dos atuais 20 por cento, poderia levar os produtores a favorecer a produção de etanol de cana. A Czarnikow fez a previsão no mês passado de um excedente global de açúcar em 2012/13 de 7,1 milhões de toneladas. Entretanto, o aumento da demanda por etanol não deve absorver o esperado excedente do açúcar, segundo a empresa. A consultoria avalia que a proporção de cana usada para a produção de etanol caia para 50,6 por cento em 2012/13, ante 51,2 por cento no ano anterior. (Reportagem de Sarah McFarlane) (Tradução Redação Rio de Janeiro; 55 21 2223 7141)) REUTERS LC RS

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.