PUBLICIDADE

Argentino acusado de matar namorada e sogra é extraditado

Homem estava há mais de dois anos clandestinamente no Brasil

PUBLICIDADE

Por Agencia Estado
Atualização:

Carlos Federico Guardo, de 29 anos, foi extraditado do Brasil para a Argentina na tarde desta quarta-feira, 17, conforme decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). O argentino é acusado de ter incendiado a casa onde moravam a namorada e a sogra dele, em Santiago del Estero, provocando a morte das duas. O crime aconteceu em 8 de julho de 2004. Em 28 de dezembro de 2004, Guardo entrou clandestinamente no País. Oito meses depois, ele foi preso pela Polícia Federal (PF) em Estância Velha, no Rio Grande do Sul, e encaminhado à Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas, onde permaneceu até a decisão final sobre o processo de extradição. Guardo também responde um processo por uso de documento falso na Justiça Federal de Novo Hamburgo. A extradição atende a solicitação do governo argentino e tem como base o Estatuto do Estrangeiro e o Tratado de Extradição firmado entre os dois países.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.