Café: crise imobiliária nos EUA afeta preço

Contratos agrícolas têm sido liquidados para cobrir parte do [br]rombo provocado pela crise imobiliária

PUBLICIDADE

Por Tomas Okuda
1 min de leitura

Os contratos futuros de café arábica na New York Board of Trade (ICE Futures US) tiveram desvalorização de 9,6% na semana encerrada na segunda-feira. O contrato com vencimento mais líquido, base maio, recuou de 150,50 cents para 136 cents por libra-peso no período. Fundos de investimento liquidaram posição comprada no mercado de café, assim como tem ocorrido em outras commodities. Conforme analistas, esses participantes têm liquidado contratos agrícolas para cobrir parte de rombo provocado pela crise imobiliária nos Estados Unidos. O corretor Rodrigo Costa, vice-presidente da Corretora Newedge, informa que ''talvez possamos começar a ver os fundamentos voltarem a dominar o mercado de café de agora em diante, já que mais participantes estão percebendo o potencial de produção razoavelmente alto para a próxima safra brasileira''. A trading Mercon divulgou na semana passada estimativa para a safra brasileira de 53,9 milhões de sacas (60 quilos) em 2008/2009, cuja colheita começa entre abril e maio. A mais recente pesquisa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) projeta safra entre 41,3 milhões e 44,2 milhões de sacas. No início desta semana, o mercado físico ficou parado, por causa da queda dos preços. Café arábica, tipo 6, fino, tinha oferta de comprador entre R$ 240 e R$ 245 a saca, mas não houve negócios em virtude da falta de vendedor. O mesmo produto chegou a ser negociado no início do mês a cerca de R$ 295 a saca.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.