Em meio a tensão, ex-premiê paquistanês retorna ao país

Em setembro, Sharif foi deportado após primeira tentativa de voltar do exílio.

PUBLICIDADE

Por BBC Brasil
1 min de leitura

Em meio a temores sobre possíveis episódios de violência política, o ex-premiê paquistanês Nawaz Sharif retornou neste domingo ao país, vindo da Arábia Saudita, onde estava exilado havia sete anos. Esta é a segunda tentativa de Sharif de retornar ao Paquistão nos últimos três meses. Em setembro, ele foi preso e deportado após a primeira tentativa. Sharif disse à BBC, durante o vôo à cidade de Lahore, que há poucas possibilidades de um entendimento com o presidente paquistanês, o general Pervez Musharraf, porque seu objetivo é livrar o país do regime militar. O Paquistão vive uma intensa crise política desde o início do mês, quando Musharraf decretou um estado de emergência alegando razões de segurança nacional. Membros do governo disseram que a entrada de Sharif no país foi autorizada após um acordo com Musharraf. Segundo a correspondente da BBC no Paquistão Barbara Plett, Sharif se mantém como opositor a Musharraf, mas não representa mais uma ameaça tão grande depois de o presidente ter garantido a validação de sua reeleição à Presidência após a decretação do estado de emergência. O retorno de Sharif neste domingo ocorre a tempo de ele ser inscrito para concorrer nas eleições parlamentares de 8 de janeiro. Líderes da oposição, incluindo a ex-premiê Benazir Bhutto, que também retornou recentemente do exílio, estão divididos sobre um possível boicote às eleições parlamentares, que devem ocorrer sob o estado de emergência. Segundo o correspondente da BBC em Lahore Shoaib Hasan, cerca de 2 mil simpatizantes do ex-premiê o aguardavam no terminal do aeroporto da cidade, gritando palavras de ordem como "Vida Longa a Sharif" e "O Leão retornou". Sharif governou o país por dois períodos e foi derrubado em 1999 em um golpe de Estado liderado por Musharraf, que o acusava de corrupção. A chegada de Sharif a Lahore foi acompanhada por uma grande presença policial. No mês passado, durante uma carreata que comemorava o retorno de Benazir Bhutto ao país, duas bombas explodiram, matando mais de 130 pessoas. Sharif recebeu um carro blindado emprestado do rei Abdullah, da Arábia Saudita, para realizar o percurso de 20 quilômetros entre o aeroporto de Lahore e um santuário da cidade, antes de seguir à sua antiga casa. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.