Governo central tem superávit primário de R$1,256 bi em setembro

PUBLICIDADE

Por Redação
1 min de leitura

O governo central --formado por governo federal, Banco Central e Previdência Social-- registrou superávit primário de 1,256 bilhão de reais em setembro, informou o Tesouro Nacional nesta segunda-feira. A receita líquida total do governo central somou 70,419 bilhões de reais, com alta de 4,2 por cento sobre agosto. Já a despesa total ficou em 69,163 bilhões de reais, com aumento de 4,9 por cento na comparação com o mês anterior. Em setebro, a receita com dividendo ficou em 3,603 bilhões de reais, com queda 38,2 por cento sobre agosto. No acumulado até setembro, o superávit primário está em 54,766 bilhões de reais, 27,3 por cento menor que o volume verificado em igual período de 2011. A meta consolidada para o setor público é de 139,8 bilhões de reais, dos quais 96,97 bilhões de reais correspondem à economia fiscal a ser feita pelo governo central. Duas das dificuldades do governo para cumprir a meta cheia de superávit primário são o baixo crescimento da economia e o efeito das desonerações tributárias. Esses fatores fizeram com que a arrecadação registrasse a quarta queda mensal consecutiva em setembro, somando 78,215 bilhões de reais. A arrecadação líquida devido à desoneração na folha de pagamento das empresas, por exemplo, foi de 924 milhões de reais no período. PREVIDÊNCIA A Previdência Social apresentou em setembro déficit de 11,121 bilhões de reais, ainda segundo dados do Tesouro. O elevado déficit na Previdência Social decorreu de um acréscimo de 5,3 bilhões de reais em setembro frente a agosto por pagamento antecipado de gratificação natalina aos aposentados e pensionistas. (Reportagem de Tiago Pariz)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Notícias em alta | Brasil






Veja mais em brasil