Lula diz a jornal que já foi julgado e nega preocupação com mensalão

PUBLICIDADE

Por Redação
1 min de leitura

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva negou estar preocupado com o julgamento do mensalão e disse, em entrevista ao jornal argentino La Nación, já ter sido julgado pela população brasileira com a eleição de sua afilhada política Dilma Rousseff para presidente e com a alta taxa de aprovação que deixou o governo. Na entrevista, publicada nesta quinta-feira, Lula se recusou a comentar o julgamento do mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF). "Um ex-presidente não pode estar opinando sobre a Suprema Corte. Principalmente quando o processo está em andamento", disse Lula ao jornal, acrescentando que expressará sua opinião sobre o caso após o término da análise da ação penal pela Corte. No julgamento do mensalão, já foram condenados por corrupção ativa o ministro-chefe da Casa Civil no início do governo Lula, José Dirceu, o ex-presidente do PT José Genoino, e o então tesoureiro da legenda, Delúbio Soares. Nesta quinta, o trio foi considerado culpado pelo relator do caso, ministro Joaquim Barbosa, pelo crime de formação de quadrilha. Lula, que à época do escândalo em 2005 afirmou não ter conhecimento do esquema, chegando a dizer que foi "traído", ficou de fora da denúncia do Ministério Público Federal sobre o caso. Ao jornal La Nación, ele disse não temer ser julgado por conta do escândalo. "Eu já fui julgado. A eleição de Dilma foi um julgamento extraordinário. Um presidente com oito anos de mandato sair com 87 por cento de aprovação é um tremendo julgamento, e eu não me preocupo com nada", disse.