Mundo aguarda 'confissão' de Lance Armstrong

PUBLICIDADE

Por JULIAN LINDEN
2 min de leitura

Um caminho para a redenção ou para a prisão? Ainda não se sabe exatamente o que a entrevista de Lance Armstrong para Oprah Winfrey vai significar para o ciclista que caiu em desgraça. Advogados estão divididos sobre quais serão as implicações legais se, como esperado, Armstrong admitir o uso de drogas para melhorar o desempenho, quando a primeira parte de sua entrevista com Oprah Winfrey for transmitida a partir de 0h30 de sexta-feira (horário de Brasília). E o público em geral também está dividido sobre o que vai acontecer com a reputação já destruída de Armstrong. Oprah já revelou algumas declarações, confirmando informações que vazaram na mídia de que Armstrong confessou o uso de doping, mas não entrou em detalhes. Autoridades antidoping dos EUA e mundiais expulsaram Armstrong do esporte por toda a vida no ano passado e retiraram todos os seus títulos, depois de produzirem uma montanha de evidências, incluindo testemunhos juramentados, de que ele usou substâncias proibidas ao longo da carreira. Tudo o que restou para o norte-americano, que até então sempre havia negado o doping, foi finalmente confessar. Agora parece que o momento chegou. Oprah confirmou que Armstrong tinha feito algum tipo de confissão na entrevista, mas a extensão de sua admissão permanece um mistério para todos, com exceção de algumas pessoas. "Eu não consegui respostas a todas as perguntas feitas, mas acho que as questões mais importantes e as respostas que as pessoas ao redor do mundo estão esperando ouvir foram respondidas", disse a apresentadora. Autoridades antidoping já pediram a Armstrong para depor sob juramento e revelar tudo o que sabe, algo que talvez pudesse preparar o caminho para uma redução de sua suspensão vitalícia. E enquanto seu legado está aparentemente manchado para sempre, uma admissão poderia salvar pelo menos parcialmente um pouco de sua reputação entre as pessoas dispostas a perdoar e esquecer. "Armstrong beneficia-se do fato de que vivemos em uma sociedade que perdoa os heróis caídos", escreveu o professor de psicologia Scott Allison, da Universidade de Richmond. Para os críticos, uma admissão de culpa e um pedido de desculpas não devem atenuar os sentimentos em relação a ele, de acordo com a professora de administração da Universidade de Notre Dame, Emily Block. "Mesmo que ele se apresenta na melhor luz possível, agindo de forma arrependida, assumindo a responsabilidade e pedindo perdão, esse comportamento provavelmente será vistos apenas como uma outra declaração desonesta de um indivíduo que tem reputação de mau caráter", disse.

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.