PUBLICIDADE

Navio encalhado na Nova Zelândia se parte ao meio

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação

Um navio de carga que encalhou há 3 meses na costa da Nova Zelândia, perto de uma área de veraneio, se partiu ao meio devido ao mau tempo. A embarcação ainda está presa nos recifes e elevou temores de um novo vazamento de óleo. O Rena, navio de 47.230 toneladas, com bandeira liberiana, está encalhado num recife a cerca de 22 km de Tauranga, na costa leste da ilha ao norte da Nova Zelândia, desde que encalhou no dia 5 de outubro. Autoridades marítimas disseram que as duas partes do navio estavam no Astrolabe Reef, com a seção da popa distante cerca de 30 metros da proa, e vêm sendo atingidas pelas ondas devido ao mau tempo durante a noite. "Enquanto as duas partes continuam encalhadas no recife, elas agora estão abertas ao mar e vulneráveis a maiores danos," disse o gerente da Unidade de Salvamento Marítimo da Nova Zelândia, David Billington. "A proa do navio de 236 metros estava cambando cerca de 24 graus e sendo sacudida por ondas de cerca de 4,5 metros," ele disse. "A proa ainda está firmemente presa no recife, mas corre o risco de ser inundada pela água do mar e deve se deteriorar ainda mais devido ao mar revolto," disse Billington. Centenas de contêineres empilhados no convés do navio caíram no mar quando ele se partiu. O comandante do National On Scene, Alex van Wijngaarden disse que equipes de socorro foram mobilizadas, incluindo especialistas em vazamento de óleo e vida selvagem. "Qualquer óleo que vá em direção à costa nos próximos dias, deve chegar em uma quantidade bem menor do que a que vazou logo depois que o Rena encalhou," disse van Wijngaarden. Equipes de salvamento já bombearam mais de mil toneladas de óleo para fora do navio, embora uma parte tenha ficado a bordo.

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.