OceanAir pretende cobrir todas as rotas da BRA

PUBLICIDADE

Por Beth Moreira
1 min de leitura

O presidente da OceanAir, German Efromovich, afirmou hoje que a OceanAir quer expandir sua malha para todas as rotas domésticas e internacionais em que a BRA atuava. O executivo esclareceu que no âmbito nacional não será preciso obter aprovação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), mas que no caso internacional terá que se submeter a concorrência para disputar as rotas. Segundo o executivo, o atendimento imediato de passageiros da BRA depende da disponibilidade de assentos em seus aviões e que a empresa não colocará vôos extras para atender essa demanda. "Não haverá necessidade, porque quando assumirmos os aviões da BRA teremos espaço para atender toda a demanda", afirma. No caso das viagens internacionais, Efromovich esclarece que aguarda a chegada de novos aviões que serão incorporados à frota da OceanAir para começar a atender os passageiros que compraram bilhetes com destino às três rotas que a BRA fazia no exterior, entre elas Lisboa, Madri e Roma. O executivo afirmou ainda que a empresa está em "plena fase de expansão" e que deverá contratar entre 400 e 500 funcionários para atender as novas rotas que pretende implantar. "Estamos admitindo tripulantes e podemos dar preferência aos profissionais da BRA", informou.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.